Novo laboratório abriga banco de embriões para pesquisa

Publicado em Ciências por em

No dia 6 de novembro, às 14h30, a Prefeitura do Campus da USP em Ribeirão Preto (PUSP-RP) inaugura o Laboratório de Criopreservação do Biotério Geral. Criopreservação é o processo de congelar células vivas, como oócitos, espermatozoides e embriões de animais de laboratórios – ratos e camundongos. No local, serão armazenadas as linhagens utilizadas nos laboratórios do campus, e o objetivo é reduzir a quantidade desses animais, já que seus embriões serão congelados. O novo laboratório instala em Ribeirão Preto a segunda unidade do serviço, que até então só existia em São Paulo, e que já conta com 12 linhagens congeladas totalizando mais de 1.657 embriões.

“Assim, espera-se aumentar ainda mais o padrão de qualidade das espécies gerando animais sadios e conferindo experimentos mais fidedignos e éticos, pela redução do número de animais”, diz Helder Tambellini, chefe técnico do Serviço de Biotério. O espaço será utilizado, também, para congelar as mais de 80 linhagens transgênicas do Centro de Criação de Camundongos Especiais da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

A outra finalidade, diz Tambellini, é ser um Banco de Embriões das diversas linhagens de ratos e camundongos existentes nos biotérios da USP. São Paulo, por meio do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) e da Faculdade de Medicina (FMUSP), terá um Banco de Embriões e Ribeirão Preto outro, sendo um backup do outro.

Infraestrutura

O Laboratório de Criopreservação do Biotério Central da USP, em Ribeirão Preto, possui quatro salas distribuídas em mais de 120 metros quadrados, sendo uma para a realização dos procedimentos; outras duas para alojamento dos animais, além de uma quarta sala para o laboratório de genotipagem. O Laboratório atenderá todas as Unidades do campus de Ribeirão Preto que possuem animais de laboratório, como ratos e camundongos, e desejam congelá-los.

As atividades serão coordenadas pela bióloga e técnica de laboratório Alina Ozório de Oliveira, graduada em Ciências Biológicas pela USP, e conta com colaboração da Divisão de Apoio da PUSP-RP. Para atender a nova demanda, além da coordenadora Alina, o médico veterinário José Irapuan de Araújo, ambos do Biotério Central, foram treinados pela doutora Juliana Bortolatto, do Centro de Bioterismo da FMUSP, em São Paulo; pela doutora Joana Margarida Bom, do Instituto Gulbenkian de Ciência, em Portugal, e por Luiz Augusto Côrrea Passos, diretor da Divisão de Pesquisa do Centro Multidisciplinar para Investigação Biológica (CEMIB) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O Laboratório de Criopreservação recebeu recursos da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, da PUSP-RP, da FMRP, do Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (CRID/CEPID), além do Hemocentro de Ribeirão Preto, que cedeu uma máquina mais moderna para congelamento de embriões. O Laboratório de Criopreservação fica no Biotério Geral, vinculado a Divisão de Apoio da PUSP-RP, na Av. Bandeirantes, 3.900, em Ribeirão Preto.

Rita Stela/Serviço de Comunicação de Ribeirão Preto.

Mais informações: (16) 3315-0732.

.