Instituto de Física organiza 11º Encontro USP Escola

Publicado em Educação por em

Acontece entre os dias 11 e 15 de janeiro, o 11º Encontro USP Escola, evento realizado pela Universidade no período das férias. Seu objetivo é a atualização e formação de professores através de cursos e oficinas realizados em várias unidades localizadas na Cidade Universitária. São esperados mais de 300 participantes de escolas de todo o Estado. A iniciativa também é um espaço para discussão sobre a realidade do ensino fundamental e médio, e sobre mudanças na matriz curricular. A programação do evento está disponível neste link.

“Na abertura deste 11º Encontro, nós teremos uma mesa-redonda sobre as mudanças que estão em discussão no MEC em torno da construção de uma base nacional comum curricular e contaremos novamente com a participação do representante do Ministério da Educação, professor Ítalo Dutra, que virá falar sobre a sistematização dessas propostas de integração curricular, algo que vem provocando muitas discussões”, adianta a professora Vera Bohomoletz Henriques, do Instituto de Física (IF) da USP, coordenadora do Encontro.

Além do IF, participam também do evento o Instituto de Química (IQ), o Instituto de Biociências (IB), a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), a Escola de Comunicações e Artes (ECA), a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), a Faculdade de Educação (FD), a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE), além do Instituto Butantan. Nesta edição, serão oferecidos 14 cursos, com temas que vão de eletroquímica ao uso de tecnologias digitais na educação.

Espaços de educação não-formal

Para essa edição do Encontro, uma boa novidade será o curso conjunto oferecido pelos museus da USP, em parceria com o Instituto Butantan e o projeto Arte & Ciência no Parque do Instituto de Física. A ideia presente no curso é oferecer subsídios aos professores para preparem suas ações educativas em espaços não-formais de educação tomando como base a compreensão das especificidades desses locais e também interagindo com eles.

“Antes os professores traziam os alunos para visitação nos museus ou laboratórios da USP e não havia um trabalho preparatório e articulado com o plano de aulas desses docentes. Agora, nós temos outras preocupações, como articular o conteúdo das exposições ou das visitas com o que o professor está trabalhando em sala”, resume o professor Mikiya Muramatsu.

Os Encontros USP Escola têm auxiliado os docentes da rede de ensino no sentido de fornecer subsídios para a melhoria de sua prática pedagógica e para o Prof. Mikiya esse é um bom caminho para que possamos superar os desafios da educação.
“Muitos professores dizem que não conseguem implementar na escola o que viram aqui por falta de laboratório ou de algum tipo de apoio, porém, os cursos e as oficinas têm ajudado a mudar essa percepção”, diz o professor Mikiya.

Segundo levantamentos realizados pelo GT USP Escola com os participantes do último Encontro, 94% dos entrevistados afirmaram que os cursos oferecidos contribuíram para melhoria do seu trabalho em sala de aula. “Os professores relatam frequentemente como estão mudando suas práticas”, confirma a professora Vera Bohomoletz Henriques.

Da Assessoria de Comunicação do IF

Mais informações: site http://portal.if.usp.br/extensao/pt-br/encontro-usp-escola

 

.