clima_climatesafety
Foto: climatesafety/Creative Commons

Grande reunião na Fapesp discute resultados de projetos sobre mudanças climáticas

Publicado em Meio ambiente, USP Online Destaque por em

Pesquisadores farão balanço de estudos finalizados e em andamento apoiados pela Fundação em parceria com instituições internacionais

Nos dias 18 e 19 de fevereiro, pesquisadores de diferentes instituições estarão reunidos na sede da Fapesp, em São Paulo, para apresentar e discutir os principais projetos de pesquisa concluídos e em andamento vinculados ao Programa Fapesp de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG).

O objetivo do encontro é promover a integração e a troca de conhecimento entre os pesquisadores e estudantes envolvidos com a temática das mudanças climáticas, por meio da apresentação de resultados obtidos em 32 projetos de pesquisa. Além das apresentações no auditório da Fundação, haverá uma mostra de pôsteres, no hall da Fapesp.

Durante os dois dias, serão discutidos temas como impactos socioeconômicos das mudanças climáticas no Brasil; modelo brasileiro do sistema climático global; sistema de alerta precoce para doenças infecciosas emergentes na Amazônia; desafios associados à qualidade da água em ambiente urbano; interação da pluma urbana de Manaus com emissões biogênicas da Amazônia; o papel dos rios nos ciclos regionais de carbono; crescimento populacional, vulnerabilidade e adaptação; impactos das práticas de gestão sobre a emissão de gás carbônico do solo em áreas de canavial, entre outros.

Atualmente, 38 pesquisas estão em andamento no PFPMCG e, desde o início do programa, 71 pesquisas já foram concluídas. Parte desses estudos foi feita em parceria com instituições internacionais, como o Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE), a Agência Nacional de Pesquisa da França (ANR) e o Belmont Forum, grupo formado por algumas das principais agências financiadoras de projetos de pesquisa sobre mudanças ambientais no mundo.

O Programa Fapesp de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais tem como objetivo avançar o conhecimento no tema a partir de resultados de pesquisa que auxiliem na tomada de decisões informadas cientificamente com respeito a avaliações de risco e estratégias de mitigação e adaptação.

O desenvolvimento das tecnologias apropriadas para o futuro também faz parte do escopo dessas investigações, tanto no sentido de inovação para mitigar as emissões como para adaptação em todos os setores e atividades.

O Programa também desenvolve um componente observacional, voltado à recuperação e expansão de observações climáticas regionais, e um componente de pesquisa sobre a interface entre ciência e política climática. Uma nova Chamada de Propostas de Pesquisa está aberta até dia 26 de fevereiro, para que pesquisadores vinculados a instituições superiores de ensino e pesquisa no Estado de São Paulo enviem projetos que poderão fazer parte do programa.

“Os temas centrais das pesquisas selecionadas em 2009 não contemplaram alguns aspectos, como dimensões humanas, saúde, energia e engenharias, que na chamada atual deverão ser contemplados”, diz Reynaldo Victoria, membro da coordenação do Programa.

Segundo ele, a chamada busca selecionar projetos de novos pesquisadores que passem a integrar o PFPMCG. Os projetos serão avaliados por especialistas na área, e os selecionados serão anunciados em 30 de maio.

Também são de interesse do Programa propostas que explorem aspectos como as consequências das mudanças climáticas globais no funcionamento dos ecossistemas, com ênfase em biodiversidade e nos ciclos de água, carbono e nitrogênio; um balanço de radiação na atmosfera, aerossóis, gases-traço e mudanças dos usos da terra; mudanças climáticas globais e agricultura e pecuária; energia e gases de efeito estufa: emissões e mitigação; mudanças climáticas e efeitos na saúde humana; dimensões humanas das mudanças climáticas globais: impactos, vulnerabilidades e respostas econômicas e sociais, incluindo adaptação às mudanças climáticas.

Presença da USP

Paulo Artaxo | Foto: Nivaldo Silva/Oboré
Paulo Artaxo | Foto: Nivaldo Silva/Oboré

Paulo Eduardo Artaxo Netto, do Instituto de Física (IF) da USP, apresentará o tema “GOAmazon: interação da pluma urbana de Manaus com emissões biogênicas da Floresta Amazônica”, abordando o Green Ocean Amazon (GOAmazon). O projeto integra especialistas do Brasil e dos Estados Unidos em pesquisas que visam compreender, por exemplo, como se dá a interação entre as partículas de poluição, os compostos naturalmente emitidos pela floresta tropical e as nuvens. Outra meta do projeto é desvendar como ocorrem os processos que produzem chuvas nos trópicos. Artaxo também divulgará a pesquisa com o tema “Aeroclima: efeitos diretos e indiretos de aerossóis no clima da Amazônia e Pantanal”.

Ricardo Abramovay | Foto: IEA/USP
Ricardo Abramovay | Foto: IEA/USP

Da Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis (FEA) da USP, Ricardo Abramovay abordará o estudo “Socio-economic impacts of climate change in Brazil: quantitative inputs for the design of public policies” (Impactos socioeconômicos da mudança climática no Brasil: dados quantitativos para o desenho de políticas públicas).

Pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, Tercio Ambrizzi falará sobre os estudos que lidera envolvendo “Processos de multi-escala que atuam na convecção tropical e a influência de aerossóis” e “Impact of the Southwestern Atlantic Ocean on South American climate for the 20th and 21st centuries” (Impacto da porção sudoeste do Oceano Atlântico sobre o clima Sulamericano nos séculos 20 e 21).

Tercio Ambrizzi | Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Além dele, Humberto Ribeiro da Rocha abordará a “Variabilidade hidroclimática na região dos reservatórios da Cantareira”, e Maria de Fátima Andrade apresentará resultados do projeto “Narrowing the uncertainties on aerosol and climate changes in São Paulo State: NUANCES-SPS” (Diminuindo as incertezas sobre aerossóis e mudanças climáticas no estado de São Paulo), que utiliza medições e modelagens para estudar a presença e possíveis efeitos – na saúde e no clima – das partículas aerossóis presentes na atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo.

Cristiano Mazur Chiessi apresentará a pesquisa que coordena na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP com o tema “Resposta da porção oeste do Oceano Atlântico às mudanças na circulação meridional do Atlântico: variabilidade milenar a sazonal”; enquanto que Edmo José Dias Campos, do Instituto Oceanográfico (IO) da USP, falará sobre o “Impacto do Atlântico Sul na célula de circulação meridional e no clima”. Também do IO, Luigi Jovane discutirá o estudo “Avaliação da produtividade primária marinha através do estudo das bactérias magnetotáticas em sedimentos”.

Maria Ballester | Foto: Cena/USP
Maria Ballester | Foto: Cena/USP

“Xingu: integrando o planejamento do uso da terra e a governança da água na Amazônia: em busca da melhoria da segurança hídrica na fronteira agrícola do Mato Grosso”, será o projeto apresentado por Alex Vladimir Krusche, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP, enquanto que Maria Victoria Ramos Ballester abordará “The role of rivers on the regional carbon cycle” (O papel dos rios no ciclo do carbono regional). Também do Cena, Luiz Carlos Ruiz Pessenda apresentará os “Estudos paleoambientais interdisciplinares na costa do Espírito Santo” que coordena, e que têm buscado entender as flutuações climáticas desde o Pleistoceno tardio para a costa do Espírito Santo, colaborando no desenvolvimento e otimização de modelos paleoclimáticos da região Sudeste do país. Siu Mui Tsai apresentará a pesquisa “Monitoring the microbial diversity and functional activities in response to land-use changes and deforestation under soybean and sugarcane cultivations” (Monitoramento da diversidade microbiana e atividades funcionais em resposta a mudanças no uso da terra e desmatamento em cultivos de soja e cana de açúcar).

Ricardo Hirata | Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Ricardo Hirata | Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Ricardo César Aoki Hirata, do Instituto de Geociências (IGc) da USP, divulgará o “Projeto Coqueiral: desafios associados à qualidade da água em ambiente urbano: aquíferos de Recife e uso do solo: como enfrentar a contaminação e a salinização das águas subterrâneas sob a perspectiva de mudança ambiental global e seu contexto social”, programa de pesquisa interdisciplinar que tem como objetivo estudar o impacto humano sobre os aquíferos costeiros superexplotados.

Carlos Arturo Navas Iannini, do Instituto de Biociências (IB) da USP, discutirá a pesquisa “Effects of global climate change on the Brazilian fauna: a conservation physiology approach” (Efeitos das mudanças climáticas globais na fauna brasileira: uma abordagem da fisiologia da conservação).

Carlos Alberto Martinez y Huaman, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, apresentará “Miniface climate-change impact experiment to analyze the effects of elevated CO2 and warming on photosynthesis, gene expression, biochemistry, growth, nutrient dynamics and yield of two contrasting tropical forage species” (Experimento miniFACE para analisar os efeitos do elevado CO2 e do aquecimento sobre a fotossíntese, expressão gênica, bioquímica, crescimento, dinâmica de nutrientes e produtividade de duas espécies forrageiras tropicais contrastantes), que avalia em laboratório a resposta de plantas a um ambiente aquecido e com maior concentração de CO2, em busca de dados sobre a adaptação das espécies vegetais tropicais a um cenário de mudança climática.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Fapesp e da Plataforma Lattes

.