TCC da ECA apresenta conteúdo interativo para TV Digital

Publicado em Cultura por em

por Meire Kusumoto, do LAC ECA-USP

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Marilia Fredini Alves, formada no curso superior do Audiovisual da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, foi vencedor da categoria Produto Interativo da Campus Party 2012. Selecionado também para o Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) deste ano, o trabalho Projeto Trapézio foi uma experiência pioneira em produção de conteúdo para TV digital.

“Na pesquisa do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre, fomos poucos os pesquisadores da área de produção de conteúdo, tendo a maior parte do arcabouço tecnológico de padronização desenvolvida por pesquisadores das áreas de engenharia e de computação”, afirma o professor Almir Almas, orientador do Projeto Trapézio. Segundo Marilia, a produção de conteúdo interativo é mínima no Brasil, pois é muito complexa a implementação de recursos digitais em uma narrativa, por exemplo. Para realizar seu projeto, a ex-aluna e o colaborador Thiago André, também formado em Audiovisual, tiveram de aprender a linguagem de programação NCL (Nested Context Language), utilizada para a interatividade na televisão digital terrestre do Brasil.

Projeto Trapézio consiste numa narrativa interativa, ou seja, em determinados momentos do filme, o telespectador pode escolher acompanhar pontos de vista de personagens diversos. “É colocada em evidência, então, a forma como as personagens lembram de algumas situações de maneiras diferentes”, diz a cineasta. Os filmes contam a história da morte de um trapezista. A interatividade é usada para recolher novas pistas e desvendar o mistério de quem matou a personagem.

No entanto, não se pode obrigar o espectador a interagir. “Se ele quiser, poderá acompanhar quatro histórias de certa forma independentes, mas que se ligariam pela interação”, explica Marília. “A ideia é que se você assiste a um ponto de vista, fica instigado a ver os outros, para entender melhor a narrativa”, completa Thiago.

Planejamento

Marilia ressalta a importância de ter o projeto bem definido desde os seus passos iniciais, já que a linguagem utilizada pode interferir no básico da produção cinematográfica. Para Thiago, “a tecnologia escolhida para fazer qualquer trabalho influencia não só a forma como ele vai se apresentar, mas também o modo como a organização deve ser feita”.

Na produção do Projeto Trapézio foi necessária a criação de um menu que explicasse a situação do trapezista e orientasse o telespectador. Por ser um produto completamente diferente do que as pessoas estão acostumadas, elas precisavam, primeiro, entender melhor como tudo funcionava.

Mérito

O professor Almir destaca o valor de um trabalho como esse: “É um marco obter o nosso primeiro TCC em TV interativa e ele já ganhar um prêmio como o da Campus Party”. Segundo ele, esse prêmio pode também estimular o interesse das pessoas na produção de conteúdo para televisão digital.

De acordo com Marília, a ideia era sair do comum. “Além disso, eu não queria que fosse apenas um trabalho de conclusão, mas sim o início de um novo projeto”, diz. Atualmente, o Projeto Trapézio continua sua pesquisa em uma parceria entre o departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) da ECA e a TV Cultura. Marilia também desenvolve o filme interativo como um aplicativo para iPad, juntamente com a Tomada Produção Audiovisual, empresa da também ex-aluna do CTR, Maria Claudia Chapini. 

.