Augustão: proteger, conversar…e atuar!

Publicado em Gente da USP, Perfil, USP Online Destaque por em

Muitos membros da Guarda Universitária (GU) da USP são pouco notados ou conhecidos pelo público que circula diariamente pelo Campus. Não é este o caso em que se enquadra Augusto Matos – ou simplesmente, Augustão – que há 13 anos faz parte da corporação.

Sempre muito dedicado às atividades da função, que incluem a proteção ao patrimônio do Campus e a orientação aos usuários do espaço, é justamente no contato com o público que o profissional se destaca, principalmente entre os alunos.

‘Minha arma é o papo’

Com tanto tempo de USP, Augustão se transformou em personalidade entre os participantes dos eventos nos quais já trabalhou. Cita como exemplo a Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. “Já estive várias vezes no Juca [Jogos Universitários de Comunicação e Artes], na FestECA, e também em outros eventos”.

“Sempre fui o tipo de pessoa que chega numa boa e conversa, não sou aquele que fica mandando, faz isso, faz aquilo. Eu peço para falar, aconselho, explico”.

O guarda prefere não nos contar algumas  destas passagens pois não quer “comprometer” a relação com os alunos. “Já ouvi muitas histórias, dei conselho, ajudei, mas não vou ficar dando os nomes porque eles confiam em mim, por isso vêm me procurar”.

Essa confiança já rendeu até mesmo uma homenagem dos estudantes, em 2009. “Me convidaram para a formatura e eu achei que era só para assistir, levei minha família. No final, o orador anunciou uma homenagem a mim”, conta, com os olhos marejados. “Recebi flores, uma placa, aplausos da turma toda. Fiquei muito feliz. São coisas que a gente não esquece”, completa.

Mas não é só de histórias alegres que Augustão se lembra. “No meu tempo de ronda em viatura, vi muita garotada com problemas, fugindo, até mesmo usando drogas. Cheguei a ver na televisão um jovem desses sendo preso”.

Ele também demonstra preocupação com a situação. “Sempre procurei orientar esses meninos, aconselhar. Um deles, que eu sabia que mexia com arma, essas coisas, me disse ‘Aí, você fala demais’. Eu virei para ele e respondi ‘É para tentar ajudar, este sou eu. Minha arma é o papo’”.

Ação!

A maior curiosidade da trajetória de Augusto Matos fica por conta de uma segunda profissão: a de ator profissional. Com um grande número de comerciais de TV (incluindo para uma conhecida marca de bebidas, um fabricante de automóveis e uma marca de material esportivo), e até mesmo uma ponta em uma novela, o guarda foi ‘descoberto’ por acaso.

“Em um dos eventos que fiz na FAU [Faculdade de Arquitetura e Urbanismo], como segurança, vi que um professor da USP passava, ficava me olhando, fiquei desconfiado”. Segundo ele, o professor o abordou, causando mais desconforto.

“Ele me disse que eu era forte, bonito, me deu o cartão dele. Eu não estava entendendo o que ele queria, mas foi pura ignorância!”.

Ainda assim, foram necessários alguns meses até Augustão tomar coragem e ligar. “Ele me indicou uma agência, eu fui, já me mandaram para um teste e passei”, conta, sorridente. “Hoje, graças a Deus e a esse professor, a quem devo muito, tenho meu registro profissional de ator para poder trabalhar”.

O começo da nova carreira foi um choque. “Na primeira vez que fui gravar no Rio de Janeiro, mandaram até uma van para me buscar no aeroporto, com gente querendo carregar minhas malas para mim. Fiquei até assustado”, lembra, brincando: “fui tratado como um ex-BBB”.

Conforme o tempo foi passando, Augustão foi aprendendo mais sobre como funciona o mundo da propaganda. “Hoje em dia eu sei que não dá para viver disso. Se você pega um comercial grande, pode até ter um bom cachê, mas depois pode não aparecer mais nada”, pondera.

Do outro lado da câmera

Para Augustão, o trabalho na GU significa “manter o pé no chão”. “Sei que enquanto fizer minha função com qualidade, vou ter o meu dinheiro garantido todo mês”.

Por problemas de saúde, ele precisou parar com as rondas na Cidade Universitária, e agora é o responsável pelo setor de monitoramento do Campus. “Eu tive início de hérnia de disco. Então, para não forçar a coluna, eu fico na Central, cuidando de todas as câmeras e da comunicação, que é uma atividade que eu aprendi a gostar muito”.

Apesar da dedicação às atuações em comerciais diversos, Augustão alimenta um sonho. “Gostaria de seguir o exemplo do Sebastian [astro de uma rede de lojas] e me tornar garoto-propaganda, para ter estabilidade na carreira”.

Alicerce

Augustão, que cresceu no bairro do Butantã, passou a morar em Osasco há cerca de 16 anos. “Foi quando me casei e comecei a minha família, que é a minha vida”. A esposa, Cláudia, até participa da carreira de ator. “Ela cuida da parte administrativa. Já fui procurado por umas duas pessoas querendo me ‘agenciar’, mas eu percebi que só queriam dinheiro, e dispensei logo”. Ele volta a se emocionar quando fala nos filhos, Augusto Júnior, de nove anos, e Vitória, de três. “Minha esposa e eles são tudo para mim, meu alicerce na vida”.

Neste mês, além do serviço da GU e eventuais gravações, Augusto Matos começa a frequentar o curso superior de (Tecnologia da Informação, na Universidade Paulista (Unip). “Se eu me esforçar para ir em frente, procurando ser o melhor possível, eu posso tentar proporcionar para eles o que eu não tive, que tenham a oportunidade de estudar muito e ter um bom futuro.”

Mais informações: tel (11) 997165469

***

Augustão é Gente da USP, e por isso aparece na editoria do USP Online que apresenta quinzenalmente personagens  interessantes que transitam pela Cidade Universitária e campi do interior. Mande sua sugestão de entrevistas para usponline@usp.br” target=”_blank”>usponline@usp.br. 

.