USP planeja sistema centralizado de revisão e tradução de publicações

Publicado em Pesquisa por em

Thiago Minami, especial para o USP Online

Para agilizar a publicação de revistas científicas, o Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP quer centralizar os serviços de revisão e tradução de artigos. Atualmente, cada corpo editorial é responsável por contratar seus próprios colaboradores por licitação – um processo demorado, que dificulta a aplicação da verba distribuída.

“Nós contrataremos empresas com qualidade internacional e passaremos a oferecer o serviço às publicações”, planeja a professora Sueli Mara Soares Pinto Ferreira, diretora técnica do SIBi.

A iniciativa faz parte de um conjunto de ações da Universidade para ampliar o impacto de suas cerca de 200 publicações científicas – um passo fundamental para aumentar o destaque da instituição no cenário acadêmico internacional. O SIBi prevê também um sistema digital atualizado de controle do fluxo editorial de artigos, para recebê-los e revisá-los.

Critérios

No mundo acadêmico, existem certas práticas e parâmetros que garantem a credibilidade dos periódicos. Um deles é  a avaliação cega, ou seja, aquela em que autor e avaliador não são identificados. Após o agrupamento dos trabalhos selecionados, a diagramação gráfica e a revisão, a revista está pronta para ser distribuída.

A veiculação pode ser em meio impresso, online ou ambos. Para que os artigos atinjam também pesquisadores que não conhecem a revista, é preciso obter a aprovação para inseri-los em sistemas de indexação com acesso online, como o nacional Scientific Electronic Library Online (SciELO). Neles, a busca é feita por palavras-chaves. Um dos mais prestigiados é o Web of Science, mantido pela americana Thomson Reuters, que conta atualmente com 12 revistas produzidas pela USP.

Aumentar o número de periódicos em sistemas como esses é um dos objetivos do SIBi. Para isso, uma comissão formada por professores e bibliotecários estabeleceu critérios de qualificação fundamentados no reconhecimento e mérito de cada publicação em âmbito institucional, no Brasil e no exterior.

Os  serviços editoriais oferecidos pelo SIBi serão diferenciados, orientando-se pelo perfil de cada revista nesta qualificação. A ideia é estimular o aperfeiçoamento contínuo dos periódicos vinculados ao Programa de Apoio às Publicações Científicas Periódicas da USP.  De acordo com Sueli:

“É um modo de dar a orientação necessária aos menores e incentivá-los a crescer”.

Também como parte das iniciativas visando ao crescimento das publicações da USP, estão previstos encontros para debater o tema. O próximo será no dia 22 de outubro, com a presença de representantes de rankings internacionais de publicações. Devem participar professores e pesquisadores que fazem parte dos corpos editoriais.

Saiba mais:

Revistas acadêmicas de alto impacto
revelam segredos do crescimento
 

.