FE reúne profissionais da área para discutir educação pública

Publicado em Cultura, Educação por em

Acontece entre os dias 14 e 17 o primeiro Seminário Universidade e Escola Pública: desafios e perspectivas da educação pública no Estado de São Paulo, promovido pela Faculdade de Educação (FE) da USP. As discussões começam às 9 horas e terminam às 21h30, exceto no sábado (quando se debaterá a obra de Paulo Freire), com término às 12h30.

O Seminário começou a ser organizado em julho deste ano e teve decisiva participação dos representantes das redes públicas de ensino e entidades sindicais, além dos alunos da FE, que, na segunda e terça-feira que precedem o início do encontro, promoverão discussões de interesse interno. Para que eles possam aproveitar da melhor maneira possível os seminários, as aulas da semana do evento serão suspensas. Há também apoio de diversas prefeituras que enviarão seus representantes ao seminário, entre elas as de Osasco, Diadema e Guarulhos e de 15 escolas participantes, as chamadas escolas-campo, onde alguns alunos da FE estagiaram nos últimos semestres.

O evento comportará aproximadamente 600 pessoas, porém a demanda é de cerca de 2.000 interessados, segundo informações da FE.

Objetivos e programação

Dentre os objetivos do Seminário estão a discussão sobre os rumos da educação pública e a troca de experiências entre os profissionais da área. Desta forma, o evento não tem cunho acadêmico, segundo a diretora da Faculdade de Educação, Lisete Arelaro. “Esse seminário busca combinar a discussão teórica com a discussão prática visando à melhoria na educação pública de qualidade”, destaca.

Estão reservados dois momentos na programação para a apresentação de mais de 100 relatos que chegaram as mãos da Coordenação, exemplos de projetos isolados na rede pública que deram, de certo modo, resultado significativo. Segundo a diretora, a quantidade de relatos que chegaram e o preenchimento antecipado de quase metade das vagas atestam um sucesso antecipado do evento, que já tem sua segunda edição programada para abril de 2012.

A abertura será com uma palestra do ministro da Educação, Fernando Haddad, que tratará do PNE – Plano Nacional de Educação de 2011 a 2020, tramitando na Câmara Federal. Em seguida, começam discussões em mesas simultâneas e divididas entre auditórios da FE e do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp). Alguns temas de extrema importância, como “Indisciplina e violência na escola”, “Educação e tecnologia” e “Relação Público-Privado na Educação” serão abordados. Para encerrar a noite de sexta-feira, estará presente o Secretário de Educação Herman Voorwald, tratando da “Escola Pública e Qualidade Social da Educação”.

Paulo Freire

O encerramento do evento será a comemoração dos 90 anos de nascimento de Paulo Freire (1921-1997), considerado pela professora Lisete Arelaro “um dos educadores mais importantes do século XX”. Paulo Freire, que foi secretário de Educação da prefeitura de São Paulo na gestão Luiza Erundina, gerou diversos trabalhos na área da pedagogia e revolucionou conceitos. Criou um método de alfabetização para adultos que não infantiliza essa ação na área educacional. Freire era também contra um currículo escolar com conteúdos rigidamente definidos, por considerar que cada aluno e turma se desenvolvem de maneira diferente de outra, evitando que os estudantes, principalmente os de classes populares, se sentissem marginalizados e abandonassem a escola. Tem mais de 40 obras publicadas e “Pedagogia do Oprimido” é considerada sua publicação mais importante. Um dos seus últimos livros, “Pedagogia da Autonomia”, lançado em 1993, ultrapassou um milhão de títulos vendidos, marca extremamente expressiva no cenário nacional.

As mesas que discutirão a obra de Paulo Freire começarão na sexta-feira à noite e terminarão no sábado com debates com a presença de Celso de Rui Beisiegel, da Faculdade de Educação (FE) da USP e Osmar Fávero, da Universidade Federal Fluminense (UFF), dois especialistas no trabalho do autor.

Reflexões

Lisete Arelaro faz uma importante reflexão ao dizer que a USP participa pouco, ou menos do que deveria, nos rumos da educação brasileira. O PNE conta com quase 2.100 emendas, que segundo a docente, pioram o já duvidável projeto inicial. Mesmo neste cenário, a USP como instituição não se manifestou, relata a diretora. “A USP tem tudo a ver com projetos de educação pública e da educação nacional”, afirma Lisete.

As discussões levantadas no evento deverão ser entregues à Reitoria da Universidade para que tomem maiores proporções e seus pontos possam, de fato, ser implementados em determinadas situações da educação pública brasileira. A simples abertura de discussão na USP é encarada como positiva, na avaliação da professora.

Serviço

As mesas serão em três perídos, manhã (das 9 às 12h30), tarde (das 14 às 17h30) e noite (das 19 às 21h30), começando na quarta-feira, e encerrando no sábado, 12h30.

As inscrições estão abertas e não há taxa de participação.

Para mais informações ligue para (11) 3091-3210 ou acesse o site da Faculdade: www.fe.usp.br

O endereço da FE é Av. da Universidade, 308, Cidade Universitária, São Paulo. O Cepeusp fica na Praça 02, Professor Rubião Meira, 61, Cidade Universitária, São Paulo.Acontece entre os dias 14 e 17 o primeiro Seminário Universidade e Escola Pública: desafios e perspectivas da educação pública no Estado de São Paulo, promovido pela Faculdade de Educação (FE) da USP. As discussões começam às 9 horas e terminam às 21h30, exceto no sábado (quando se debaterá a obra de Paulo Freire), com término às 12h30.

O Seminário começou a ser organizado em julho deste ano e teve decisiva participação dos representantes das redes públicas de ensino e entidades sindicais, além dos alunos da FE, que, na segunda e terça-feira que precedem o início do encontro, promoverão discussões de interesse interno. Para que eles possam aproveitar da melhor maneira possível os seminários, as aulas da semana do evento serão suspensas. Há também apoio de diversas prefeituras que enviarão seus representantes ao seminário, entre elas as de Osasco, Diadema e Guarulhos e de 15 escolas participantes, as chamadas escolas-campo, onde alguns alunos da FE estagiaram nos últimos semestres.

O evento comportará aproximadamente 600 pessoas, porém a demanda é de cerca de 2.000 interessados, segundo informações da FE.

Objetivos e programação
Dentre os objetivos do Seminário estão a discussão sobre os rumos da educação pública e a troca de experiências entre os profissionais da área. Desta forma, o evento não tem cunho acadêmico, segundo a diretora da Faculdade de Educação, Lisete Arelaro. “Esse seminário busca combinar a discussão teórica com a discussão prática visando à melhoria na educação pública de qualidade”, destaca.

Estão reservados dois momentos na programação para a apresentação de mais de 100 relatos que chegaram as mãos da Coordenação, exemplos de projetos isolados na rede pública que deram, de certo modo, resultado significativo. Segundo a diretora, a quantidade de relatos que chegaram e o preenchimento antecipado de quase metade das vagas atestam um sucesso antecipado do evento, que já tem sua segunda edição programada para abril de 2012.

A abertura será com uma palestra do ministro da Educação, Fernando Haddad, que tratará do PNE – Plano Nacional de Educação de 2011 a 2020, tramitando na Câmara Federal. Em seguida, começam discussões em mesas simultâneas e divididas entre auditórios da FE e do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp). Alguns temas de extrema importância, como “Indisciplina e violência na escola”, “Educação e tecnologia” e “Relação Público-Privado na Educação” serão abordados. Para encerrar a noite de sexta-feira, estará presente o Secretário de Educação Herman Voorwald, tratando da “Escola Pública e Qualidade Social da Educação”.

Paulo Freire
O encerramento do evento será a comemoração dos 90 anos de nascimento de Paulo Freire (1921-1997), considerado pela professora Lisete Arelaro “um dos educadores mais importantes do século XX”. Paulo Freire, que foi secretário de Educação da prefeitura de São Paulo na gestão Luiza Erundina, gerou diversos trabalhos na área da pedagogia e revolucionou conceitos. Criou um método de alfabetização para adultos que não infantiliza essa ação na área educacional. Freire era também contra um currículo escolar com conteúdos rigidamente definidos, por considerar que cada aluno e turma se desenvolvem de maneira diferente de outra, evitando que os estudantes, principalmente os de classes populares, se sentissem marginalizados e abandonassem a escola. Tem mais de 40 obras publicadas e “Pedagogia do Oprimido” é considerada sua publicação mais importante. Um dos seus últimos livros, “Pedagogia da Autonomia”, lançado em 1993, ultrapassou um milhão de títulos vendidos, marca extremamente expressiva no cenário nacional.

As mesas que discutirão a obra de Paulo Freire começarão na sexta-feira à noite e terminarão no sábado com debates com a presença de Celso de Rui Beisiegel, da Faculdade de Educação (FE) da USP e Osmar Fávero, da Universidade Federal Fluminense (UFF), dois especialistas no trabalho do autor.

Reflexões
Lisete Arelaro faz uma importante reflexão ao dizer que a USP participa pouco, ou menos do que deveria, nos rumos da educação brasileira. O PNE conta com quase 2.100 emendas, que segundo a docente, pioram o já duvidável projeto inicial. Mesmo neste cenário, a USP como instituição não se manifestou, relata a diretora. “A USP tem tudo a ver com projetos de educação pública e da educação nacional”, afirma Lisete.

As discussões levantadas no evento deverão ser entregues à Reitoria da Universidade para que tomem maiores proporções e seus pontos possam, de fato, ser implementados em determinadas situações da educação pública brasileira. A simples abertura de discussão na USP é encarada como positiva, na avaliação da professora.

Serviço
As mesas serão em três perídos, manhã (das 9 às 12h30), tarde (das 14 às 17h30) e noite (das 19 às 21h30), começando na quarta-feira, e encerrando no sábado, 12h30.

As inscrições estão abertas e não há taxa de participação.

Para mais informações ligue para (11) 3091-3210 ou acesse o site da Faculdade: www.fe.usp.br

O endereço da FE é Av. da Universidade, 308, Cidade Universitária, São Paulo. O Cepeusp fica na Praça 02, Professor Rubião Meira, 61, Cidade Universitária, São Paulo.

.