Simpósio, vídeo e catálogo marcam os 50 anos da Edusp

Publicado em Institucional por em

Valéria Dias / Agência USP de Notícias

Prestes a completar 50 anos de atividades, a Editora da USP (Edusp) é um referencial quando se pensa em editoras universitárias, não apenas no Brasil, mas também no restante do mundo. Para celebrar este feito, entre os dias 5 e 8 de novembro, ocorre o Simpósio Internacional “Livros e Universidades”, que será realizado no auditório da Biblioteca Mindlin, no campus da Cidade Universitária, em São Paulo. Além do Simpósio também está prevista a publicação de um catálogo com o registro completo dos mais de 3.200 títulos já lançados e a edição de um vídeo institucional.

“Ao final do Simpósio, pretendemos divulgar uma carta aberta à sociedade em defesa do livro universitário, apontando o contexto atual do setor, os principais objetivos, quais desafios enfrentamos e o que há em comum entre as editoras do mesmo tipo”, destaca a professora Marisa Midori Deaecto, curadora do simpósio.

De acordo com a professora, ao pensar no Simpósio, a comissão organizadora das comemorações destacou três eixos que as palestras e discussões deveriam cobrir: editoras universitárias e o mercado editorial: projetos e desafios; os profissionais do livro: entre a técnica e a formação humanística; e o livro e a universidade: encontros e conflitos na perspectiva da longa duração. “A ideia é gerar um grande quadro comparativo, sempre colocando a USP no cenário nacional e internacional da editoração universitária”, diz.

Veja o vídeo a seguir:

[yframe url=’http://www.youtube.com/watch?v=mshk_bcu_No&feature=youtu.be’]

No Simpósio esses três eixos serão abordados por palestrantes de diversas partes do mundo, como: Andre Schiffrin (The New Press, Nova York, EUA), Paulo Franchetti (Unicamp), Jean-Yves Mollier (Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines, França), Matthias Middell (Universidade de Leipzig, Alemanha), Nelson Schapochnik (USP), Nuno Medeiros (CesNova – Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa, Portugal), Bernardo Jaramillo Hoyos (CERLAC – UNESCO); Andrew Brown (Cambridge University Press), Stephen Maikowski (University of New York Press), entre outros

Segundo a professora Marisa, há várias realidades envolvendo as editoras universitárias. Na França, elas são bem diferentes das existentes no Brasil. “No caso da Edusp, por exemplo, há uma relação institucional com a universidade. Lá não. São grupos de professores e editores particulares que se reúnem e cada grupo acaba por representar determinadas regiões do território francês. Já em Portugal, não existe este modelo”, explica.

Para a professora, o perfil das editoras universitárias ao redor do mundo diz muito sobre as sociedades em que elas estão inseridas, tanto na França, como na Alemanha. Matthias Middell, por exemplo, vai abordar a configuração do mercado editorial após a unificação das duas Alemanhas.

Instabilidade econômica

A Edusp foi criada em 1962. De um modelo voltado, primeiramente, para o público universitário, a editora foi se modificando ao longo do tempo e, atualmente, tem um público bem mais amplo, não restrito à USP, e publica também obras na área de traduções e de autores contemporâneos. “É bom lembrar que, durante muitos anos, a economia brasileira foi bastante instável. É raro uma empresa do ramo editorial durar tanto tempo, principalmente sendo uma editora acadêmica, de perfil universitário”, destaca a professora.

No Brasil, além da Edusp, há também outras editoras universitárias de destaque, como a da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a da Universidade de Campinas (Unicamp), e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

No caso da Edusp, Marisa cita que um dos diferenciais é o suporte acadêmico que ocorre por meio da graduação em Editoração oferecido pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. “Muitos funcionários que hoje atuam na Edusp são formados em Editoração pela ECA, diz a professora, lembrando que a formação do profissional de editoração será um dos eixos de debates do simpósio. No Brasil, a USP oferece o curso de Editoração. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Anhembi-Morumbi oferecem o curso de Produção Editorial, e o Senac tem o curso de Design Editorial.

A abertura do Simpósio ocorre segunda-feira (5), às 14 horas, com a presença do reitor da USP, João Grandino Rodas; da pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, professora Maria Arminda do Nascimento Arruda; do diretor da Edusp, o professor Plinio Martins Filho; do diretor da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, professor Pedro Puntoni; além da professora Marisa Midori.

Após a apresentação de um filme institucional, haverá a conferência de abertura, que será ministrada pelo crítico e ensaísta, professor da USP, Ivan Teixeira. A programação completa pode ser acessada neste link.

O Auditório da Biblioteca Mindlin fica na Rua da Biblioteca, s/n, Cidade Universitária, São Paulo.

Mais informações: (11) 3091-4995, email marisamidori@usp.br, com a professora Marisa Midori, site www.edusp.usp.br/livroseuniversidades/50anos/

.