Gênero, sexualidade, idade, identidade – diferenças em debate na FFLCH

Publicado em Sociedade, USP Online Destaque por em

Temas que suscitam polêmica entre a população em geral estarão em debate na próxima semana, mas do ponto de vista de quem estuda a antropologia social. Discussões sobre união estável homossexual, sexualidade, gênero, aborto de anencéfalos, cotas raciais e questões de identidade farão parte do primeiro Encontro de Marcadores Sociais da Diferença (Enumas), organizado por alunos da pós-graduação em Antropologia Social da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e membros do Núcleo de Estudos que leva o mesmo nome do evento, o Numas.

O Encontro será entre os dias 12 e 14 de novembro na própria FFLCH, totalmente gratuito para os interessados e com inscrições feitas no próprio local.  Na programação constam três mesas de debates além de uma conferência de abertura (Veja a programação completa aqui).

Segundo a professora Heloísa Buarque de Almeida, integrante do Numas e participante do evento, o grande objetivo é “alargar o repertório dos estudantes de graduação e de pós, mostrando pesquisas de grande qualidade e suas bases teóricas e metodológicas”. Mas não só de estudantes é feito o público-alvo deste encontro. “São pesquisas que tratam de problemas de direitos e cidadania e temos um público também vinculado aos movimentos sociais como o feminista, anti-racista e LGBT”, completa a professora.

Para um dos alunos organizadores do evento, o estudante Gustavo Saggese, “é importante trazer pessoas externas à USP, ONGs, movimentos sociais e ter um diálogo com pessoas de fora da academia”.

Ainda segundo Gustavo, o evento é de grande importância, não só para alunos da USP, mas para a sociedade como um todo. “São temas atuais que estão sendo debatidos o tempo inteiro. A questão dos anencéfalos e das cotas estiveram no Senado há pouco tempo”, analisa o organizador. “Esperamos que seja produtivo e que o evento cresça para as próximas edições”, conclui o estudante.

Programação

A conferência de abertura terá a presença de Heloísa e da professora da Unicamp, Guita Grin Debert, especialista em questões ligadas ao envelhecimento, marcadores de idade e geração, que discutirá “como nossa sociedade marca certas fases da vida e como disso resultam mercados de consumo, questões de direitos acesso à saúde, entre outras”. Essa conferência será no dia 12, às 18 horas, na sala 101 do prédio da Filosofia e Ciências Sociais.

No dia seguinte, a primeira mesa será às 14 horas, na mesma sala da conferência com o tema “Políticas e processos de inclusão e exclusão”. Estarão presentes os professores José Rodrigo Rodriguez (FGV), que pesquisa sobre a lei Maria da Penha; Debora Diniz (UnB), que aborda o aborto dos anencéfalos; e Adriana Vianna (UFRJ), que pesquisa sobre abuso sexual. A mediadora será a professora Lilia Schwarcz, do Numas.

Ainda no dia 13, às 18 horas, a segunda mesa “Saberes sobre o corpo e identidades” terá a presença de Fabiola Rohden (UFRGS), especialista em questões de gênero e sexualidade, estudando como a percepção do corpo feminino foi construída e Camilo Braz (UFG), que trabalha modificações corporais e estuda clubes de sexo em São Paulo. A professora Heloísa Buarque de Almeida será mediadora. A sala utilizada será a 7 do prédio da História e Geografia.

Para encerrar o encontro, a terceira mesa, no dia 14, ocorrerá às 14 horas na sala 102 do prédio da Letras. O tema é  “Marcadores Sociais da Diferença”, quando haverá um balanço das outras mesas e serão discutidos os assuntos de maneira mais abrangente, mas sem perder a profundidade. Vagner Gonçalves da Silva, do Numas, será o mediador da mesa, enquanto Julio Assis Simões e Laura Moutinho, ambos do Numas, terão a companhia de Regina Facchini (Unicamp) no debate.

Numas

Criado em 2007, o Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença reúne cinco professores da USP (Heloísa Buarque de Almeida, Lilia Schwarcz, Vagner Gonçalves da Silva, Julio Assis Simões e Laura Moutinho) e tenta tratar de forma coletiva, diversos temas sociais em que cada pesquisador tem mais afinidade.

“Havia pesquisadores que discutiam relações raciais, mas havia pouco contato entre eles e quem pesquisava gênero e sexualidade, por outro lado. O que buscamos fazer é levar em conta as inter-relações entre estes marcadores”, explica Heloísa. Hoje há também mais 14 pós-graduandos e graduandos com projetos de iniciação científica.

Serviço

Encontro de Marcadores Sociais da Diferença (Enumas) é organizado por alunos da pós-graduação em Antropologia Social da USP e pelo Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença (Numas) da USP.

Acontece entre os dias 12 e 14 de novembro na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. A participação é gratuita e as inscrições são feitas no local antes do início das mesas. Serão oferecidos certificados aos presentes. O endereço da FFLCH é

Mais informações pelo site http://numas-usp.blogspot.com.br.

.