Alunos da Poli administram ‘escuderia’ e constroem um carro por ano

Publicado em Tecnologia, USP Online Destaque por em

Celia Domingues/Assessoria de Imprensa da Poli

Todo ano, a Equipe Poli Racing, formada por alunos de Engenharia da Escola Politécnica (Poli) da USP, constrói um novo carro de corrida para participar da Fórmula SAE Brasil – competição já tradicional entre faculdades de engenharia. Eles são jovens, entre 17 e 20 e poucos anos, mas já têm a responsabilidade de gerir uma “escuderia”, com todos os desafios do mundo empresarial.

Para chegar ao produto final, um carro potente e seguro, o grupo pratica, no dia-a -dia da oficina (Laboratório de Desenvolvimento de Produtos), os conceitos de gestão, marketing, logística, finanças, relação interpessoal, entre outros. “Temos de respeitar prazos, obedecer a hierarquia da equipe, lidar com dinheiro, buscar patrocínio. Não é fácil, mas é muito prazeroso quando vemos o projeto concretizado e podemos pilotar o carro”, diz Henrique Pinheiro, 20 anos, aluno do terceiro ano de Engenharia Mecânica e coordenador de Marketing da Equipe Poli Racing.

Os alunos também adquirem conhecimento técnico. Eles têm contato com um projeto completo de Engenharia, que inclui as fases de Concepção, Projeto, Fabricação e Teste. Isso significa que eles mesmos desenvolvem inteiramente o carro, integrando motor, estrutura, transmissão, elétrica, freios, suspensão – e ainda têm a meta de aprimorar a qualidade em relação ao projeto anterior.

A pesquisa é constante. “Muitas coisas que vemos pela primeira vez na aula já tínhamos estudado para o projeto do carro e, vice-versa, aplicamos, na prática, a teoria dada pelos professores. Certamente, a Poli Racing valoriza nossa formação”, diz Henrique Pinheiro. Ele inclusive decidiu seguir a área de Engenharia Automotiva, no curso de graduação, após integrar a equipe, há cerca de um ano.

Muitas coisas que vemos pela primeira
vez na aula já tínhamos estudado
para o projeto do carro, e vice-versa.

Os alunos dedicam-se ao projeto durante todo o ano – no mínimo, dez horas semanais. No entanto, alguns integrantes passam muito mais tempo na oficina, principalmente na fase decisiva, próxima da competição.

“No último feriadão, trabalhamos os seis dias no carro. Às vezes, viramos a noite”, conta Henrique Pinheiro. O interessante é que se trata de uma atividade extracurricular, com participação espontânea do estudante. “É difícil conciliar as atividades da Poli Racing com o estudo (o curso de graduação é integral) e com a vida social. Nos privamos de ir a festas, sair com os amigos. Mas não tem preço a satisfação de construir um carro fórmula. E sabemos que essa experiência fará diferença na nossa vida profissional”.

Não tem preço a satisfação de construir um carro
fórmula. E sabemos que essa experiência
fará diferença na nossa vida profissional.

Atualmente, 25 alunos de diferentes áreas do curso de Engenharia integram a equipe, acompanhados pelo professor orientador Marcelo Alves, do Centro de Engenharia Automotiva (CEA) da Poli.

Os principais patrocinadores em 2012 são: Yamaha, Beta, Continental, Henkel, CYH, HIS, Atlas Copco e Schneider Electric.

Carro de 2012

A Poli Racing desenvolveu um novo carro para participar da Fórmula SAE Brasil 2012,  que é promovida desde 2004 pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade.  O veículo é o FP-04, com motor Yamaha 450 cilindradas. Em relação ao projeto do ano passado, o principal avanço é o sistema de aquisição de dados, desenvolvido internamente por um aluno, com telemetria, tecnologia avançada utilizada em Fórmula 1. Assim, o sistema informa, em tempo real, as condições do carro para o piloto e os boxes, além de gravá-las para análises posteriores.

O FP-04 também ganhou diferencial na transmissão, que garante melhor desempenho em dirigibilidade e agilidade. Outra novidade é que os alunos conseguiram reduzir o peso do carro em cerca de 5% (10 kg), aspecto importante para sua performance nas pistas.

A competição  será realizada de 30 de novembro a 2 de dezembro, no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo, em Piracicaba (SP).

Mais informações: (11) 5641-0690 e (11) 99635-6450, com Célia Domingues, email scopus@uol.com.br

.