Roteirista de ‘Diários de Motocicleta’ e ‘On the Road’ ministra palestra para alunos da ECA

Publicado em Artes por em

Bruna Alencar / Laboratório Agência de Comunicação

José Rivera esteve presente no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) para participar de uma palestra com os alunos do curso de audiovisual sobre seu trabalho como roteirista. Ele é conhecido por ter adaptado famosos livros para o cinema, como o roteiro de Diários de Motocicleta, de Ernesto Che, e On the Road, de Jack  Kerouac. Ambos os filmes foram dirigidos pelo brasileiro Walter Salles.

Adaptações para o cinema

On the Road foi um dos principais expoentes da geração beat dos Estados Unidos, sendo uma grande influência para os jovens dos anos 60, que sai em busca de um caminho seja ele qual fosse. O livro foi lançado nos Estados Unidos pela primeira vez em 1957, esse foi o livro que mostrou ao mundo o lado escuro e sombrio do sonho americano.

De acordo com Rivera, o maior desafio encontrado para realizar essa adaptação foi o mesmo desafio encontrado quando escreveu Diários de Motocicleta: o medo de decepcionar. “Eu deveria esquecer tudo o que acompanhava o livro, sua fama, seu caráter icônico e seus milhões de fãs, caso contrário, não conseguiria escrever”, diz o roteirista. “Mesmo quando você está adaptando um livro como On the Road você deve colocar originalidade no roteiro, senão você vira escravo do livro”, completa.

Para compor o texto do filme Rivera afirma fazer muita pesquisa tanto sobre os personagens, o autor, quanto sobre a cultura e economia. “Eu faço muita pesquisa antes de escrever o texto e esse é um processo demorado, mas quando começo a escrever flui consideravelmente rápido. Foram seis meses de pesquisa para quatro semanas que eu gastei escrevendo On the Road”, conta Rivera. Contudo, o profissional nos diz que terminar o roteiro é só uma parte do trabalho porque após finalizá-lo ocorrem diversas modificações que vão originando outras versões do roteiro, esse foi o caso de On The Road que tem 20 versões de roteiros diferentes.

Quando questionado sobre qual personagem o fascina ele afirma ser Dean é o mais fascinante e sedutor. “Dean é fascinante de várias formas porque embora ele tenha todos esses problemas como a cadeia, família, trabalho, ele possui apetite pela vida. Ele é extremamente livre. Ele é o homem que quando chega quebra todas as regras e é capaz de seduzir a todos.”

Parceria com Walter Salles

Rivera começou sua parceria com Walter Salles em 2003 quando o diretor procurava alguém para escrever o roteiro de Diários de Motocicleta, desde então tem formado uma grande parceria. “Walter é alguém muito aberto às opiniões dos roteiristas e isso é raro, muitos diretores nem querem a presença do roteirista no set de filmagem”, comenta o roteirista.

O trabalho com o diretor não é limitado ao momento da produção do roteiro. Segundo Rivera, tanto para gravar Diários de Motocicletaquanto para gravar On the Road os dois viajaram juntos várias vezes para completar o caminho percorrido pelos personagens e decidir os locais de filmagem, foram três viagens para percorrer o caminho feito por Ernesto Che Guevara e sete viagens para completar o caminho de Jack. “Minha filosofia é que há somente uma direção no filme e meu trabalho é arrumar tudo para facilitar a visão do filme, o mesmo ocorre na pós-produção”, argumenta o roteirista.

O profissional também revela ter tido grande proximidade do elenco, eles conversavam sobre o texto, viam o que funcionavam e abria espaço para as sugestões e improvisações com os atores. “Teatro é totalmente dependente do texto. O cinema não é assim e eu já aceitei. Cinema é troca, colaboração mútua entre atores, roteiristas e diretor”, diz Rivera.

 Envolvimento com o teatro

José Rivera nos conta que seus projetos pessoais são direcionados para o teatro. “Eu amo filmes, mas eu quero dirigir algo sozinho”, confirma. “Minhas inspirações são os autores Gabriel Garcia Marques, Pablo Neruda e Lorca”, revela o roteirista.

.