Teleducação auxilia profissionais em saúde auditiva

Publicado em Saúde por em

Bruna Romão / Agência USP de Notícias

A utilização da educação a distância associada às novas tecnologias, ou Teleducação, na audiologia (campo da saúde que cuida dos distúrbios auditivos) representa uma maneira efetiva de levar conhecimento de qualidade para os profissionais que atuam na área, inclusive para aqueles que não lidam diretamente com o tratamento fonoaudiológico . “A intenção é beneficiar o paciente deficiente auditivo, pois a partir do momento que todos os profissionais da instituição sabem um pouco mais sobre sua patologia a consequência é melhorar o atendimento prestado a ele”, explica a fonoaudióloga Ana Carolina Soares Ascencio, que desenvolveu em seu mestrado um programa de Teleducação Interativa a ser aplicado a todos os profissionais de em uma instituição de apoio ao deficiente auditivo.

A pesquisa, financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), incluiu o desenvolvimento de um material educacional online interativo, chamado de Cybertutor, no qual foi colocado todo o conteúdo do curso. O projeto contou com a participação de uma equipe de profissionais do Núcleo de Assistência à Pessoa com Deficiência (NADEF), centro de atendimento ao deficiente auditivo localizado na cidade de Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo. O trabalho foi realizado sob orientação da professora Wanderléia Quinhoneiro Blasca, a partir de uma parceria entre a Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) , o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC / Centrinho) da USP, em Bauru, e o Núcleo de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). A dissertação A Teleducação interativa na capacitação de profissionais em saúde auditiva foi apresentada em fevereiro deste ano

Os participantes receberam logins e senhas do site da Estação Digital Médica , onde o conteúdo didático foi disponibilizado. Finalizaram todas as atividades do curso 17 pessoas, de um total de 24, todas voluntárias. A pesquisadora conta que os resultados do projeto mostraram-se positivos, tanto em relação ao aprendizado do conteúdo quanto em relação à motivação dos profissionais. Por meio da aplicação de uma ficha de pesquisa motivacional para avaliação subjetiva de cursos que envolvam educação à distância, o programa foi considerado um “Curso Impressionante” por 100% dos participantes. “Também houve bastante crescimento do conhecimento dos participantes sobre a deficiência auditiva e o aparelho de amplificação sonora”, completa.

“Como o Brasil é um país muito grande, a tendência é aumentar a utilização da Teleducação, fazendo com que o conhecimento chegue de forma mais facilitada para as pessoas e evitando assim que se desloquem grandes distâncias para os centros de referência”, diz Ana Carolina. Projetos de Teleducação Interativa, além de se mostrarem eficientes para expandir a educação em saúde auditiva , também podem auxiliar no barateamento de custos (evitando os deslocamento de pacientes e profissionais), com consequente diminuição da demanda nas instituições de referência, uma vez que os pacientes teriam a mesma qualidade de atendimento e os profissionais igualmente capacitados nas suas instituições locais.

Cybertutor

Dividido em cinco módulos, o curso online, que recebeu o nome Intercâmbio Técnico Científico Entre Centros de Atendimento Ao Deficiente Auditivo, incluía textos e recursos audiovisuais, como vídeos e imagens estáticas e animadas, organizados em 5 capítulos subdivididos em forma de tópicos. O conteúdo abrangia explicações sobre as características e propriedades do som, o sistema auditivo, a deficiência auditiva e seus graus, o aparelho de amplificação sonora individual e outros aspectos e cuidados a ele ligados. “Todo esse conteúdo foi preparado em linguagem simples para que fosse entendido por todos os profissionais”, conta.

Cada módulo de estudo contava com um fórum de discussões, onde os usuários podiam opinar e trocar informações a respeito do conteúdo estudado. Para prosseguir para o conteúdo seguinte, era preciso ao menos visitar a página. Após cada etapa, também eram realizadas web conferências, em que os participantes esclareciam, ao vivo, dúvidas com os tutores. Ao fim de todo o curso, houve uma última web conferência, em que foram discutidos casos clínicos, para que fosse constatado o grau de aprendizado proporcionado pelo Cybertutor. Para a avaliação dos resultados da pesquisa, os participantes ainda responderam uma ficha de pesquisa motivacional e um questionário com sete questões sobre o conteúdo do curso.

Além do material online, também foram desenvolvidos dois DVDs destinados aos deficientes auditivos: um motivacional e outro sobre como utilizar o aparelho, que deveriam ser disponibilizados na televisão no NADEF. “O centro foi equipado para o desenvolvimento do processo”, conta a fonoaudióloga. Foram entregues à associação um computador com webcam, para realização das web conferências, uma televisão LCD de 42′ e um aparelho de DVD.

Mais informações: email carolina_ascencionh@yahoo.com.br, com Ana Carolina Ascencio

.