FORP indica eficácia da acupuntura em problemas odontológicos

Publicado em Saúde, USP Online Destaque por em

Além dos tradicionais instrumentos para realização de procedimentos odontológicos, alguns dentistas já podem contar com novas aliadas no tratamento dos pacientes: agulhas ultrafinas, aplicadas em determinados pontos do corpo, na terapia de acupuntura.

A eficácia da acupuntura em problemas odontológicos vem sendo tema de pesquisa na Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP), da USP. Em seu estudo, o professor da FORP Rodrigo Galo comparou a eficácia da terapia de acupuntura com o tratamento convencional em pacientes com disfunção temporomandibular, que é o funcionamento anormal dessa articulação. A disfunção provoca sintomas muito incômodos aos pacientes, como dores de cabeça, dores de ouvido e zumbidos, cansaço dos músculos da mastigação, e dificuldade para abrir a boca. Pode afetar adultos e crianças.

O tratamento convencional da disfunção temporomandibular consiste na utilização de uma placa estabilizadora pelo paciente, durante a noite. A placa é confeccionada em material rígido, e tem função de aliviar as articulações, promover o relaxamento dos músculos da região e proteger os dentes do desgaste.

A pesquisa concluiu que sessões de acupuntura nesses pacientes têm a mesma eficácia da utilização do tratamento convencional, com a placa estabilizadora. “O resultado positivo vai além da comprovação de que o método é efetivo, existe a comodidade também. A placa deve ser utilizada pelo paciente, toda noite, por aproximadamente 8 horas, que é a quantidade indicada de sono por noite. Já as sessões de acupuntura têm duração média de 20 minutos, uma vez por semana. É muito mais confortável para o paciente”, diz Galo. Ainda segundo o pesquisador, a literatura comprova resultados positivos da aplicação das agulhas em casos de nevralgia do nervo trigêmeo, paralisia facial e bruxismo (o “ranger” de dentes), principalmente em crianças.

Contra a ansiedade e no pós-operatório

Foto: Marcos Santos / USP ImagensMas a acupuntura não é utilizada somente para tratamento das doenças. “Ela desempenha função importante antes do tratamento também, como uma maneira de tranquilizar o paciente. Existem pontos na cabeça que, quando estimulados, agem como tranquilizantes, diminuindo ansiedade na cadeira do dentista”, explica Galo.

Acredita-se que a eficácia da terapia está relacionada com o estímulo do sistema nervoso central. Os pontos tradicionais de aplicação das agulhas, que são estimulados, são aqueles com maior número de terminações nervosas. Isso aumenta a circulação de neurotransmissores como ocitocina e noradrenalina, por exemplo. “Existem pesquisas que mostram que quando o ponto é estimulado corretamente, o sistema nervoso central é ativado. Se a agulha é colocada longe do ponto, não há estímulo do sistema nervoso”, diz Rodrigo.

Outra pesquisa desenvolvida na FORP também demonstra os benefícios da acupuntura em situações de pós-operatório. “Um trabalho realizado aqui na FORP comprovou que depois de cirurgias em terceiros molares, em pacientes que realizaram uma sessão de acupuntura antes da cirurgia, e outra logo depois, houve redução na necessidade de consumo de analgésicos, principalmente nas primeiras horas da cirurgia”, relata a professora Maria Cristina Borsatto.

Habilitação de profissionais

Tendo em vista todos esses benefícios, a professora Maria Cristina está coordenando o Curso de Habilitação em Acupuntura, voltado para todos profissionais de saúde e para cirurgiões-dentistas, na Fundação Odontológica de Ribeirão Preto (Funorp), que apoia a FORP. “A acupuntura é um recurso que amplia o nível de atuação do cirurgião-dentista nos tratamentos das diversas doenças”, ressalta Maria Cristina.

O curso terá duração de 24 meses, dividido em módulos mensais, com aulas aos sábados e domingos. São 18 módulos teóricos e 6 módulos práticos em ambulatório, mas durante todo esse tempo, haverá prática e demonstrações, segundo a professora.

Serviço

O Curso de Habilitação em Acupuntura terá início no dia 16 de fevereiro. As inscrições vão até dia 15 de fevereiro,  e devem ser realizadas na secretária da FORP. As aulas serão ministradas na própria faculdade, aos sábados e aos domingos. As mensalidades tem valor de R$5 00,00 e taxa de matrícula custa R$ 70,00. Mais informações no site da FORP; pelo telefone (16) 3633-3888 e 3602-4079, com Patrícia de Lamare; ou ainda pelos emails funorp@forp.usp.br e patricialamare@forp.usp.br.

.