Agricultura urbana agroecológica é tema de pesquisa na FSP

Publicado em Meio ambiente por em

Da Assessoria de Comunicação da Faculdade de Saúde Pública

Investigar a experiência do Projeto Colhendo Sustentabilidade: Práticas Comunitárias de Segurança Alimentar e Agricultura Urbana (PCS), desenvolvido entre 2008 e 2011, no município de Embu das Artes, São Paulo, é o objetivo da dissertação de mestrado Agricultura urbana agroecológica sob o olhar da Promoção da Saúde: a experiência do Projeto Colhendo Sustentabilidade – Embu das Artes – SP, de autoria da administradora Silvana Maria Ribeiro, que será defendida no próximo dia 30 de abril na Faculdade de Saúde Pública (FSP) , sob orientação da professora Helena Akemi Wada Watanabe, docente do Departamento de Prática de Saúde Pública da FSP.

O que motivou a pesquisadora Silvana a realizar tal estudo, foi seu envolvimento profissional com a área pesquisada e a percepção de que no Brasil e no mundo, o fenômeno da urbanização nas últimas décadas tem ocasionado diversas mudanças no perfil demográfico, na qualidade de vida e no abastecimento alimentar das populações, além da grave crise ambiental instaurada nas grandes cidades. A agricultura urbana e periurbana de base agroecológica tem se apresentado como uma alternativa para o meio ambiente das cidades e para a saúde das populações urbanas, contribuindo com o desenvolvimento da biodiversidade; para o melhor aproveitamento dos espaços e dos resíduos; para o manejo adequado dos recursos de água e solo e para o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional (SAN).

Silvana constatou com o trabalho de pesquisa que o projeto buscou fomentar a participação social, desenvolver habilidades pessoais e coletivas e reforçar a ação comunitária por meio do empoderamento comunitário. O processo educativo contribuiu para a formação de agentes multiplicadores em práticas sustentáveis e criação de espaços saudáveis. Os participantes relataram mudanças nos hábitos alimentares; descoberta de novas espécies comestíveis; acesso a uma alimentação diversificada e melhoria na saúde física e mental após envolvimento nas atividades nas hortas comunitárias.

Para a pesquisadora Silvana, “os depoimentos das agricultoras e agricultores urbanos de Embu das Artes, coletados durante as oficinas de sistematização de experiência, revelaram a agricultura urbana agroecológica como uma atividade promotora de saúde.”

Com estes resultados, a pesquisadora verificou a potencialidade do PCS na elaboração de políticas públicas saudáveis intersetoriais, contribuindo para resultados mais efetivos de melhoria na qualidade de vida das populações, promovendo de forma mais ampla a saúde das pessoas.

“Os resultados obtidos na pesquisa comprovaram que a agricultura urbana agroecológica aliada à educação popular pode contribuir efetivamente para a promoção da saúde e da segurança alimentar”, afirma Silvana.

Mais informações: email silmaribe@gmail.com ou silmaribe@usp.br

.