FSP aponta benefícios do “Projeto EcoHorta”

Publicado em Saúde por em

Da Assessoria de Comunicação da FSP

A publicação apresenta os objetivos, método e resultados do projeto de pesquisa de extensão denominado Projeto EcoHorta. Desenvolvido como projeto piloto de horta urbana, em instituição de ensino, teve a participação de quatro entidades atuantes na Faculdade de Saúde Pública: Programa USP Recicla, Projeto Nutritiva, Empresa Júnior de Nutrição (Nutri Junior) e Creche Pré-Escola Saúde.

O conceito de horta urbana vem ganhando espaço na sociedade contemporânea por vários motivos. Entre eles, destacam-se a reação à diminuição das áreas verdes pelo crescente uso urbano dos espaços, a requalificação dos espaços urbanos, o acesso a alimento e geração de renda em comunidades e a produção de alimentos frescos e livres de agrotóxicos.

O tipo de horta urbana selecionada e implantada, em 2012, foi a vertical, com a finalidade principal de promover ações de educação ambiental voltadas para a comunidade uspiana, além de integrar a minimização de resíduos por meio do reaproveitamento de garrafas PET descartadas e a utilização do composto orgânico produzido na faculdade. A horta implantada na FSP caracterizou-se como uma horta urbana pedagógica. Por meio desta prática, os aspectos técnicos e pedagógicos puderam ser evidenciados.

Por meio deste projeto, foi possível enfatizar a possibilidade de implementação de ações socioambientais sustentáveis, praticadas em integração ensino-pesquisa, envolvendo aspectos técnicos e pedagógicos, em instituição de ensino localizada em pleno meio urbano, altamente urbanizado e adensado. Envolveu um público heterogêneo, formado por alunos da graduação em nutrição, de pós-graduação, funcionários da faculdade, além de crianças e educadores da Creche Pré-Escola Saúde localizada dentro da FSP.

As ações adotadas não foram dispendiosas ou trabalhosas e, ao contrário, trouxeram economia de recursos para a faculdade, considerando-se a redução de resíduos sólidos gerados e que deixaram de ser enviados para aterro sanitário, atividade que incide em custo e traz impactos ambientais e à saúde.

Agradecimentos ao Fundo de Cultura e Extensão e à Faculdade de Saúde Pública pelo apoio ao desenvolvimento do projeto e desta publicação.

Clique aqui para acessar a publicação na íntegra.

Mais informações: email wgunther@usp.br

.