Faculdade de Ciências Farmacêuticas recicla até 250 kg de lixo por mês

Publicado em Meio ambiente, USP Online Destaque por em

Em parceria com o projeto USP Recicla, a Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP recicla de 100 a 250 kg de lixo por mês. A unidade possui uma comissão própria, o Farma Recicla, que, além de ser responsável pelo controle dos resíduos recicláveis descartados na faculdade, desenvolve eventos e projetos buscando estabelecer uma consciência ambiental entre alunos e funcionários.

A comissão do Farma Recicla foi instituída em 2000 com presidência do professor Orlando Zancanaru Jr. Entretanto, apenas em 2003, o programa de coleta seletiva passou a funcionar. Além disso foram implantados o diagnóstico do lixo, forma de analisar quantitativa e qualitativamente os resíduos produzidos; o programa de conscientização ambiental para a comunidade FCF; e a substituição dos copos descartáveis por canecas de porcelana, medida que seria adotada mais tarde por toda a universidade com a entrega de canecas plásticas resistentes na semana de recepção dos calouros.

Atualmente, a comissão tem trabalhado na manutenção do projeto. Anualmente são feitos treinamentos com o objetivo de instruir os funcionários das empresas terceirizadas de como proceder na coleta e despacho do lixo. Também é feita a divulgação e orientação através de folhetos e cartazes e a exposição dos resultados obtidos.

Os membros do projeto desenvolvem atividades programadas como encontros anuais, palestras, atividades recreativas e oficinas de reciclagem e reaproveitamento do material residual de aulas e laboratórios. No último ano, o Farma Recicla atuou junto à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) da FCF, trazendo palestrantes de uma cooperativa de reciclagem a fim de ilustrar o processo pós coleta: o material é separado novamente e vendido a empresas que o utilizam como matéria prima.

Os alunos de graduação e pós-graduação possuem envolvimento direto nesses projetos. Além de participação como espectadores, podem trabalhar como membros da comissão na função de mediadores com a comunidade.

Segundo a professora Suzana Caetano da Silva Lannes, atual presidente do Farma Recicla o programa é bem sucedido: “O sistema já está muito bem organizado. O que fazemos é a manutenção”.

Prática

A análise de tipo e pesagem do lixo produzido pela FCF é feita mensalmente pela comissão. Nos primeiros anos de projeto, a unidade arrecadou em média 200 kg de recicláveis por mês e 1440 kg de material orgânico. No total, foram 26.050 kg de lixo orgânico, cerca de sete vezes mais que o reciclável (3.640 kg) em dezoito meses. Hoje a média se mantém de 100 a 250 kg por mês, e o lixo orgânico não é pesado, mas tem o volume registrado: de 200 a 290 sacos de 100 litros por mês.

A FCF também produz resíduos químico-infectantes em seus laboratórios. A coleta desse material já era realizada antes mesmo da introdução do programa. Entretanto, durante a análise prévia do lixo, foram encontrados resíduos impróprios em lixeiras comuns. O Farma Recicla não é responsável por esse tipo de material. A separação desse resíduos é feita em sacos distintos por técnicos de laboratório especializado, classificados por intensidade de contaminação e encaminhados a empresas com licença ambiental para tratamento específico, de modo a reduzir os riscos ocupacionais, sanitários e ambientais.

Os resíduos eletrônicos e as lâmpadas são recolhidos por projetos paralelos da USP e a FCF ainda não possui posto de coleta de pilhas e baterias, que é feita manualmente por um membro da comissão.

Mais informações: (11) 3091-3691/ email scslan@usp.br, com a professora Suzana Lannes

.