Simuladores da EERP reforçam ensino na Enfermagem

Publicado em Saúde por em

Marcela Baggini / Comunicação da USP em Ribeirão Preto

Os laboratórios da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP ganharam três novos reforços: Siman 3G, Simon e ALS. São simuladores de alta fidelidade, bonecos que reproduzem seres humanos em situações que precisam de atendimento de saúde. Esses simuladores, garantem os professores da EERP, ajudam a aumentar a aprendizagem dos alunos.

Considerados de alta fidelidade devido à complexidade de seu uso, os simuladores colocam os alunos em situações delicadas, exigindo intervenção.

Segundo a coordenadora dos laboratórios da EERP, Alessandra Mazzo, a chegada dos simuladores fez com que as atividades fossem mais frequentes e menos improvisadas. “Antes, os processos de comunicação e interação eram desenvolvidos apenas em experiências clínicas”.

Antes de utilizar esses equipamentos, os alunos passam por aulas teóricas e testes em simuladores de baixa fidelidade, com treinamento de habilidades em contextos menos complexos.

“A estratégia de simulação subentende que o aluno desempenha algumas atividades. Dessa forma, o aluno vai percebendo o que está acontecendo com o paciente”, ressalta a coordenadora.

Os simuladores

Também conhecido como Marcos, o Siman 3G tem características humanas, como dilatação da pupila, vômito, choro e convulsão. Por sua vez, a gestante Simon representa todas as fases de uma gravidez e dá a oportunidade aos alunos de realizarem todos os procedimentos de parto. Já o ALS (simulador avançado para atendimento de urgência), possibilita que os alunos façam massagens cardíacas, desfibrilação e administração de medicamentos.

“A simulação vem por uma questão ética e legal. Fora isso, ela possibilita que o aluno treine aqui, ambiente extremamente seguro, tudo o que ele vai desempenhar na prática”, conclui Alessandra.

Veja a matéria:

[yframe url=’http://www.youtube.com/watch?v=l10crvcLjOU’]

.