Morre professor do ICMC que trouxe para o Brasil a Teoria de Singularidades

Publicado em Institucional por em

Da Assessoria de Comunicação do ICMC

Ele escreveu o primeiro livro sobre Teoria de Singularidades no Brasil, publicado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) em 1967, quando ministrou o primeiro curso sobre o assunto no 6º Colóquio Brasileiro de Matemática. Estamos falando de Gilberto Francisco Loibel, que faleceu na última quarta-feira, 13 de novembro, em São Paulo, aos 81 anos.

Segundo a professora do ICMC Maria Aparecida Soares Ruas, que foi orientada por Loibel durante o mestrado, além de ser o introdutor da Teoria de Singularidades no Brasil, Loibel foi o fundador do Grupo de Singularidades de São Carlos. “Ele orientou os primeiros alunos de mestrado e doutorado nessa área, principalmente no período de 1970 a 1985. Muitas das dissertações e teses orientadas por Loibel foram pioneiras nos temas abordados, graças ao brilhantismo do orientador. Ele foi um dos matemáticos mais brilhantes que conheci”, disse.

Nascido em 24 de maio de 1932 na cidade de São Paulo, Loibel realizou os estudos primários e parte do secundário na Alemanha. De volta ao Brasil, obteve o título de Licenciado e Bacharel em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP no ano de 1955, e lá começou como instrutor no ano seguinte. Em 1959 defendeu pela EESC sua tese de doutorado, intitulada Sobre quase grupos topológicos e espaços com multiplicação, orientada pelo professor Achille Bassi. Fez pós-doutorado na Universidade da Califórnia, em Berkeley (EUA), entre 1960 e 1962. No período de 1965 a 1966, foi professor visitante na Universidade Central da Venezuela.

Entre 1962 a 1965, foi chefe do Departamento de Matemática da EESC, e de 1971 a 1976, coordenou nessa instituição o Programa de Pós-Graduação em Matemática. Tornou-se professor titular do ICMC em 1981, onde foi vice-diretor no período de 1982 a 1986 e se aposentou em 1987. A partir de 1990, por quinze anos foi professor colaborador e adjunto no Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE), da Unesp de Rio Claro.

Ruas conta que Loibel se encantou pela Teoria de Singularidades durante um estágio de pós-doutorado em Berkeley, nos Estado Unidos. Foi lá que conheceu René Thom e participou de um minicurso oferecido por Thom sobre conjuntos estratificados. “Loibel era um topólogo, mas se entusiasmou com as questões centrais propostas pela Teoria de Singularidades durante as décadas de 60 e 70 do século passado. Os problemas de caracterizar as aplicações estáveis, decidir sobre a densidade do conjunto dessas aplicações e descrever as singularidades estáveis, propostos por Hassler Whitney e René Thom eram os grandes desafios da teoria que se iniciava”, contou.

Leia aqui a entrevista publicada na revista ICMCotidi@no em maio de 2012 com o professor Loibel

Mais informações: email comunica@icmc.usp.br

.