Pesquisa da FFCLRP resgata na Alemanha parte da história da música brasileira

Publicado em Artes por em

Tauana Boemer/Serviço de Comunicação Social da Prefeitura USP do Campus de Ribeirão Preto

Em pesquisa realizada recentemente em Munique, na Alemanha, pesquisadores da USP em Ribeirão Preto conseguiram resgatar parte importante da história da música brasileira. Sob coordenação do professor Rubens Russomanno Ricciardi, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, estudiosos descobriram canções populares brasileiras publicadas no Anexo Musical ao livro Viagem no Brasil dos naturalistas bávaros Martius (botânico) & Spix (zoólogo). O trabalho foi realizado pelo compositor Theodor Lachner (1795-1877), então pianista da ópera de Munique.

O Anexo Musical (com um lundu, canções populares brasileiras e melodias indígenas) foi impresso na casa editorial Falter und Sohn, em Munique, em 1826. Até hoje, o compositor que elaborou as partituras das canções populares brasileiras, a editora e o ano de impressão eram totalmente desconhecidos, pois não constavam dos documentos relacionados a Martius e Spix.

Segundo Ricciardi, coordenador do Núcleo de Pesquisa em Ciências da Performance em Música (NAP-CIPEM) da FFCLRP, embora Spix também tivesse boa formação musical, as fontes musicais ou letras de músicas só constam das anotações manuscritas de Martius, cujas fontes primárias são completas em relação às melodias indígenas (colhidas diretamente em tribos indígenas de Minas Gerais à Amazônia, entre 1817 e 1820) e divergem em alguns aspectos da revisão elaborada por Lachner, em 1826. No entanto, no caso das canções populares, Martius só anotou as letras, cabendo a Theodor Lachner todo o arranjo ou composição musical.

Os pesquisadores da USP, que contaram com o apoio da professora Dorothea Hofmann, da Escola Superior de Música e Teatro de Munique, festejam a descoberta “da essencial participação de Theodor Lachner no processo editorial do Anexo Musical”. Ricciardi explica que isso foi possível pela comparação dos trabalhos análogos de Lachner, realizados em Munique naqueles anos, como suas edições de outras partituras para canto e piano.

A pesquisa destacou ainda o papel de Martius — um músico amador respeitado em seu tempo. Ele mantinha relação próxima não só com os compositores da família Lachner, mas também com Mendelssohn e Liszt, além de grandes nomes da literatura de seu tempo, alemães e brasileiros. Teve como interlocutores Goethe (com quem discutiu sobre o Anexo Musical da Viagem no Brasil ao longo do processo editorial, entre 1824 e 1825), Gonçalves Dias (questões literárias e semânticas da língua portuguesa) e Manuel de Araújo Portoalegre (sobre a formação de uma identidade cultural brasileira).

Pesquisa virará livro-CD

A exemplo das publicações das pesquisas de Martius e Spix no século 19, o NAP-CIPEM lançará agora um livro-CD com todos os resultados da pesquisa em Munique, incluindo gravações e edição crítica integral das partituras musicais do Anexo Musical.

As descobertas dos pesquisadores da USP foram anunciadas durante a exposição/concerto Múltiplos Sentidos em Martius & Spix – Música e Biologia. O evento foi realizado dia 21 de novembro, na Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP, numa parceria dos departamentos de Música e Biologia da FFCLRP-USP.

Mais informações: (16) 3602-3169 e 3602-0102

.