Projeto da USP em Ribeirão introduz estudantes no mundo da imunologia

Publicado em Educação, USP Online Destaque por em

Marcela Baggini / Serviço de Comunicação Social da Prefeitura USP do Campus de Ribeirão Preto

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Questões como o motivo pelo qual tomamos vacinas, como o corpo se protege das doenças e até por que temos alergias estão ficando mais claras para os alunos do primeiro ano do ensino médio. Eles são o foco do projeto Imunologia nas Escolas, fruto da parceria entre os alunos do programa de pós-graduação em Imunologia Básica e Aplicada da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), de graduação da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) e da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), todas da USP.

Após participar de um congresso sobre imunologia no exterior, Vânia Bonato, da FMRP e coordenadora do projeto, teve a ideia de criar um grupo de estudantes que estivesse disposto a contribuir com a formação dos alunos do ensino médio. “Queríamos tornar o que acontece na USP mais próximo da sociedade”, declara uma das idealizadoras do projeto.

O projeto dissemina conhecimentos de imunologia e aproxima os alunos do ensino médio do tema, ao analisar casos cotidianos, como por exemplo febre e alergias. Além disso, a iniciativa faz a interação entre a universidade e a comunidade externa, promovendo um intercâmbio de conhecimentos. “Os alunos levam à comunidade o conhecimento e assistência e eles evidenciam sua real necessidade”.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Inflamações, infecções por micro-organismos, vacinas e alergias são alguns temas abordados durante o projeto, que promove aulas uma vez ao mês, com duração de duas horas, durante um semestre. Inicialmente, apenas duas escolas de Ribeirão Preto participaram do projeto: a Escola Estadual Otoniel Mota e o Liceu Albert Sabin Ribeirão Preto.

Para despertar o interesse dos jovens, são ministradas aulas práticas e demonstrativas, além de experimentos científicos. Segundo as coordenadoras do projeto, a principal iniciativa é levar o conhecimento para o jovem. “Para que ele possa disseminar as informações coletadas de forma simples para outros membros da sociedade. “O que a gente quer é tornar esse aluno mais curioso para aprender”, explica a professora Beatriz Ferreira, da EERP.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ministradas no período oposto ao da aula regular, o projeto é visto como disciplina optativa e extracurricular, uma vez que a Imunologia, ao contrário de Biologia Molecular e Genética, não tem introduções no ensino médio. “Tudo é sempre tão novo para os alunos, que desperta curiosidade”, salienta Vânia.

O fechamento das atividades do semestre foi feito com visita dos alunos do ensino médio aos laboratórios da USP.  O intuito dessa atividade é incentivar os alunos a participarem dos programas de pré-iniciação científica da universidade. “O projeto também serve para despertar o interesse dos alunos pela universidade. Fazer com que ele queira estar aqui no futuro”, afirma a professora Fabiani Frantz, da FCFRP.

A coordenação do projeto é das professoras Vânia Bonato, Beatriz Ferreira e Fabiani Frantz. Elas afirmam que pretendem estender a atuação do projeto para outras escolas de Ribeirão Preto e fomentar, cada vez mais, a prática do “fazer ciência”.

Mais informações: (16) 3602-0153, email vlbonato@fmrp.usp.br

.