Aplicativo desenvolvido por alunos do ICMC é premiado em maratona de programação

Publicado em Tecnologia por em

Denise Casatti / Assessoria de Comunicação do ICMC

Um aplicativo para informar o cidadão sobre as condições de trânsito e a velocidade média nas vias, por meio de dados coletados dos celulares dos próprios usuários e informações fornecidas pela Companhia de Engenharia e Tráfego (CET). Esse é o principal objetivo do projeto tranSPlot, que ficou em terceiro lugar durante a primeira Hackatona da CET e recebeu uma premiação de R$ 5 mil.

O projeto foi criado por três estudantes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos: Fabio Dela Antonio, José Eduardo Colabardini e Giovanni Marques. Também participou da equipe desenvolvedora, chamada Bad Request, o técnico em informática Danilo Carolino. “Durante o evento, desenvolvemos aplicações para as plataformas Android e iOS, um webservice para fornecer e registrar as informações que os aplicativos necessitam e um mapa para web, possibilitando a visualização de dados de lentidão do tráfego através da localização do aparelho celular”, explicou Carolino.

Ele explica que a obtenção de dados por meio dos celulares dos próprios usuários da ferramenta cria um ciclo virtuoso, já que quanto mais pessoas utilizarem o aplicativo, melhor será a qualidade da informação fornecida e mais pessoas se interessarão pela ferramenta. “Também criamos uma página na web para fornecer as informações de trânsito àqueles que não possuem smartphones e não poderão usar o aplicativo”, completa Carolino.

Ao todo, 95 pessoas em 40 equipes se inscreveram pelo site da CET com 63 propostas de projetos, das quais 15 acabaram sendo selecionadas para serem desenvolvidas durante a 1ª Hackatona da CET, realizada nos dias 22 e 23 de março em São Paulo. “Esta Hackatona e o Laboratório de Tecnologia e Protocolos Abertos representam um esforço da Prefeitura de São Paulo para melhorar a mobilidade da cidade, investindo nas tecnologias disponíveis e disponibilizando aos cidadãos o máximo de informações e dados possíveis para melhorar a qualidade do trânsito e transporte aqui”, ressaltou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

Desde 25 de fevereiro, a CET disponibilizou em sua página na internet uma série de dados institucionais sobre os mais variados assuntos relacionados à gestão do trânsito a fim de estimular programadores de softwares, pesquisadores e outros interessados a terem ideias para criar aplicativos e ferramentas digitais que ajudarão a CET e a população a monitorar melhor o sistema viário paulistano, enfrentar o trânsito do dia-a-dia e, assim, aprimorar a mobilidade urbana no município.

A partir dessa oferta de informações e dados públicos, os participantes tiveram, ao longo da Hackatona, desafios propostos para desenvolver aplicativos com foco na mobilidade urbana, para smartphones, tablets, etc. A tecnologia que eles se propuseram a criar atende a aplicativos de plataforma web e celular (sistemas Android e iOS).

Ao final, os três melhores ganharam, além do reconhecimento pelo esforço, prêmios e brindes. O julgamento foi feito por uma comissão técnica composta por especialistas da CET, SPTrans, USP, entre outras instituições. Os softwares foram avaliados em quatro quesitos: interesse público, monitoramento participativo, criatividade e qualidade técnica. A Hackatona da CET foi promovida em parceria com a Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP), e recebeu o apoio da Amazon Web Services, GVT, JC Decaux e Brasofware.

Com informações da Assessoria de Imprensa da CET

.