Paço das Artes expõe obras de Nino Cais e Francis Bacon

Publicado em Artes por em

Do Jornal da USP

O Paço das Artes apresenta exposições de Nino Cais e Francis Bacon, além da 3ª e da 4ª Temporada de Projetos 2014. “Um Cais para Nino: A imagem na imagem”, do artista Nino Cais, é composta por cerca de 90 colagens e fotografias, além de dois objetos/instalações.

A exposição é dividida em núcleos, com a proposta de fazer ressoar gêneros importantes à pintura e à fotografia, como paisagens, natureza-morta, nus e retratos coletivos e individuais. Segundo o curador Tadeu Chiarelli, a mostra reflete a posição indagadora que Nino mantém com as imagens impressas no mundo e com a sua própria imagem, e a consequência disso são manobras utilizadas pelo artista para embaralhar os discursos, borrar os limites e desmascarar os artifícios dos gêneros artísticos tradicionais. Nas colagens, Nino Cais desnuda o caráter artificial das imagens retiradas de revistas, livros e catálogos e destaca a materialidade do suporte que as sustentam. Já nos autorretratos, o artista mantém seu rosto coberto e mescla-se a elementos.

Foto: DivulgaçãoObra sem título (2014), de Nino Cais
Foto: Divulgação
Desenhos inéditos de Francis Bacon

Já “Italian Drawings” reúne 43 desenhos inéditos do artista irlandês Francis Bacon (1902-1992), que estavam sob os cuidados do último companheiro do pintor, o jornalista italiano Cristiano Lovatelli-Ravarino. A coleção revela uma faceta pouco conhecida do pintor, que afirmou repetidas vezes que não desenhava. Sob a curadoria de Monika Burian e Serena Baccaglini, a mostra reúne obras em preto e branco e em cor, desenhadas a lápis e de tamanhos variados, que foram presenteadas na década de 1980 por Francis Bacon (já septuagenário) ao então namorado.

Os desenhos ficaram guardados sigilosamente até o início dos anos 2000, e apesar de terem sido feitos na última década das atividades artísticas de Bacon, retomam alguns temas da pintura do artista da década de 1950, como os eclesiásticos e imagens que fazem referência à crucificação. Na mostra, há também retratos de amigos.

Foto: DivulgaçãoObra sem título (2014), de Nino Cais
Foto: Divulgação
Obra sem título (2014), de Nino Cais

Também são apresentadas as 3ª e 4ª edições de 2014 da Temporada de Projetos, programa que tem como objetivo abrir espaço à produção artística, curatorial e crítica da jovem arte contemporânea brasileira. Neste ano, o Paço traz as mostras de Beto Shwafaty, Érica Ferrari, Laila Terra, Luísa Mota, Marcelo Amorim e Victor Leguy. Remediações, de autoria de Shwafaty, resulta de uma pesquisa que capta como certas dinâmicas e noções de projeto nacional são transpostas para outros suportes de comunicação. O trabalho de Érica Ferrari, chamado Estratigrafia, explora camadas históricas dos Palácios Nacionais, dando destaque àqueles que guardam passagens de luta e violência e que, hoje, funcionam como museus ou espaços culturais.

Eurídice, de Laila Terra, traz seis gravuras serigráficas que possuem como base principal a pesquisa na construção cromática, em composições simples e formadas por quadrados em linha, sem variação na forma e no espaço. Marcelo Amorim mostra imagens apropriadas de uma coleção de livros didáticos antigos, reproduzidas em grande dimensão com tinta acrílica e aquarela sobre papel, em Ventriloquia. Já o projeto de Leguy, que foi pensado em uma residência na Finlândia, usa elementos como fotos, vídeos, textos e outros arquivos que possuem um pré-significado para compor a instalação Planos em Secção. Por fim, Perception is Wild (A Percepção é Selvagem), da residente portuguesa Luísa Mota, apresenta o espaço expositivo como existencial e performático, mergulhando o espectador no imaginário da artista, em uma instalação composta por esculturas, imagens e vídeos.

As exposições ficam em cartaz até 7 de setembro, terças a sextas das 10 às 19 horas, sábados, domingos e feriados das 11 às 18 horas, no Paço das Artes (av. da Universidade, 1, Cidade Universitária, tel. 3814-4832). Entrada franca.

.