Vocação para ensinar

Publicado em Especial por em

marcoantoniotop

Eu resolvi ser professor porque era uma vocação que tinha; curiosamente costumava dar aula para os meus amigos que ficavam de “segunda época”, isso nos anos sessenta. Em 1973, cheguei a entrar no curso de Economia da USP, mas a experiência determinou que aquele não era o meu caminho. No último semestre da Licenciatura em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras São Marcos, cumpri o estágio supervisionado na antiga Escola Técnica Federal, hoje denominada Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Lá fui admitido em 1983, como professor substituto e, em 1986, obtive aprovação para a vaga de professor efetivo, mediante concurso público.

Sinto-me muito honrado, em especial pela lembrança da jovem sobre os meus préstimos e a influência construtiva dos mesmos sobre suas motivações escolares

Na Federal, passei a maior parte da minha carreira profissional como professor, o que foi um aprendizado enorme para mim. Com a classe da Carolina, assim como junto a outras turmas nas quais a formação do técnico é integrada ao curso médio, procurei enfatizar que, embora o curso fosse orientado para o mercado de trabalho, a qualidade dos componentes curriculares era motivo de interesse para que prosseguissem nas carreiras de nível superior por via das graduações em universidades públicas como a USP, Unesp e Unicamp. A Carolina, além de muito inteligente, apresentava-se com prontidão no acompanhamento dos conteúdos, demonstrando capacidade de discernimento e elaboração nas atividades. Ela é, a partir deste ano, aluna da Medicina-USP, cursando o 1º ano.

Sinto-me muito honrado, em especial pela lembrança da jovem sobre os meus préstimos e a influência construtiva dos mesmos sobre suas motivações escolares. Trata-se de um reconhecimento que gratifica e enobrece a profissão de professor, ainda carente de melhores condições de trabalho no âmbito dos prestadores de serviços especializados com educação superior.

Leia o depoimento da aluna de Marco Antonio:
Carolina Costa Silva – A escolha certa
“Agora que eu entrei, tenho certeza que fiz a escolha certa”.

Início

.