Aluno da Esalq cria manual de fabricação de violão clássico

Projeto possibilita a montagem de um violão com custo abaixo de R$ 70 | Foto: Roberto Amaral (Esalq/Acom)

Da Assessoria de Comunicação da Esalq

“Há 20 anos, o violão era instrumento de botequim. E continua lá. Ainda bem, e com gente muito boa”. Com essas expressões de Edelton Gloeden, Fábio Zanon e Odair Assad, três principais nomes do violão erudito, brasileiro e internacional, Caio de Oliveira Loconte, aluno do curso de Engenharia Florestal da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, abre o relatório final do projeto Transferência de tecnologia da madeira para a prática artesanal da fabricação do violão. O trabalho, desenvolvido com verba do Programa Bolsa “Aprender com Cultura e Extensão”, surge como oportunidade de aliar técnicas da engenharia da madeira para a confecção de um dos instrumentos mais populares do País.

O projeto, que pretende fabricar violões de forma didática e a custo acessível a partir de madeiras plantadas ou nativas de ciclo sustentável, tem como objetivo sociabilizar, nos âmbitos da universidade, do ensino fundamental e médio, a cultura da luteria do violão por meio da popularização da produção desse instrumento. Afinal, basicamente, essa é a proposta do próprio programa que permitiu o desenvolvimento do estudo – aprender transferir ciência e tecnologia criadas nos laboratórios para a comunidade adaptando as metodologias e a forma de expressão oral e de conduta à realidade da situação em curso. Assim, eis aqui, um violão com som simples e comum, que será indicado para pessoas de baixa renda ou para iniciantes.

Os estudos começaram em 2005, com a contribuição dos alunos de graduação da Escola e com a pretensão de colaborar no atendimento da legislação atual quanto à inclusão da educação musical no ensino básico e facilitar sua inserção em projetos sócio-culturais. De acordo com o coordenador, José Nivaldo Garcia, do Departamento de Ciências Florestais (LCF), além da inovação, a Universidade também pesquisa e busca entender e divulgar a cultura popular. “A música, hoje vista como Ciência, é uma característica marcante da cultura brasileira e merece espaço dentro do meio acadêmico”, destaca o professor.

As ações envolvem a produção de componentes do violão junto ao pessoal de apoio do Laboratório de Engenharia de Madeira; divulgação do projeto na Esalq para conseguir a adesão de voluntários tanto dos cursos de graduação quanto de pós-graduação; montagem de um violão modelo com um kit completo desses componentes com custo abaixo de R$70; constituição de três grupos de 20 alunos do ensino fundamental e médio para participar de oficinas de fabricação do violão. “Dessa forma, os trabalhos realizados nas oficinas poderão ser divulgados à comunidade e os resultados apresentados”, comenta Loconte, aluno responsável pela elaboração do relatório final do projeto e pelo Manual de Fabricação de Violão Clássico, no final de 2011.

Manual

José Nivaldo Garcia coordena o projeto | Foto: Roberto Amaral (Esalq/Acom)

O manual apresenta, de maneira simplificada, uma metodologia para a fabricação do instrumento musical tendo por base a planta Guitare Classique Dans Le Style, de Santos Hernandez. Dividido em capítulos, o manual introduz partes do violão, produção das peças, montagem e acabamento. Enfim, o instrumento é composto por diversas peças conectadas entre si utilizando-se de cola ou contato, tornando-se possível dividir a construção em caixa, braço e mão. Na caixa encontram-se o tampo, a boca, as laterais, o cavalete ou ponte com o rastilho, a roseta e o fundo. A pestana, as casas e a escala são constituintes do braço. Por fim, fazem parte da mão as tarraxas. Complementando a orientação, no manual é revelado que dentro da caixa acústica existem várias peças que desempenham importantes papéis na sustentação do violão e na transmissão do som.

Para o orientador do projeto, este é um trabalho muito importante, pois além de estender os ensinamentos obtidos na Universidade à sociedade, reúne, a cada ano, novas idéias e experiências trazidas por estudantes que se interessam por essa linha de pesquisa e que gostariam de participar das atividades ao longo do ano.

Programa Aprender com Cultura e Extensão

O programa, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo (USP), integra a política de apoio à permanência e formação estudantil da instituição. Sua finalidade é fomentar as ações de cultura e extensão por meio das atividades do corpo discente da graduação em projetos, de forma a contribuir para a sua formação. Propõe-se, assim, apoiar projetos dessa natureza em temáticas voltadas para os desafios da realidade intra e extrauniversidade. Os projetos devem apontar sua relação com as finalidades acadêmicas do curso ao qual o aluno se encontra vinculado e com as metas da Unidade para o desenvolvimento da cultura e extensão universitária, na sua articulação com o ensino e a pesquisa.

Mais informações: (19) 3447-8613 / 3429-4109