Biblioteca do IEB recebe acervo da professora Marlyse Meyer

Publicado em Cultura, USP Online Destaque por em

A Biblioteca do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP possui cerca de 182 mil volumes, entre livros, revistas, teses, periódicos e partituras. Composta principalmente por antigas coleções, a Biblioteca abriga um dos principais acervos do país sobre assuntos brasileiros. Para incrementar esse catálogo, será disponibilizado em breve o acervo doado pela família de Marlyse Meyer, que foi professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Segundo Maria Itália Causin, Supervisora Técnica de Serviço da Biblioteca do IEB, a iniciativa da doação partiu de Aline Meyer, filha da professora que faleceu em 2010. Em julho do ano passado, o material foi recebido e passou por uma comissão para que fossem avaliados o estado de conservação e o interesse em relação ao conteúdo dos volumes.

Na época, a Biblioteca passava por um problema estrutural. “Nós não tínhamos estantes para colocar os livros”, explica Maria Itália. Resolvido esse impasse, os cerca de 4500 livros e revistas da coleção de Marlyse foram aceitos e começaram a passar pelo processo que vai terminar na disponibilização de todo o material para consulta.

Próximas etapas

Nos meses de dezembro e janeiro de 2011, todo o material passou por um processo de higienização. De acordo com Maria Itália, porém, a maior parte das publicações estava em ótimo estado, o que facilitou o trabalho. Após isso, os volumes passaram pelas etapas de tombamento, de inventário e de catalogação, em que os livros receberam iniciais e números de classificação.

Agora, ainda sem prazo de término, a coleção vai ser submetida a um processamento técnico, para então ser disponibilizada no Dedalus – o sistema de bibliotecas da USP – e cadastrada no catálogo eletrônico do IEB.

Outra coleção que acaba de chegar ao IEB e que está na mesma situação do acervo de Marlyse Meyer é a do geógrafo Milton Santos, que também foi professor titular na USP. Maria Itália afirma que a ideia é que, em breve, todos esses livros estejam disponíveis na Biblioteca do IEB.

Literatura e folhetim

Além de ser professora da FFLCH, Marlyse Meyer também foi crítica e ensaísta literária. Destacou-se por suas críticas literárias e como historiadora da cultura popular. Em 1996, recebeu o prêmio Mário de Andrade da Fundação Biblioteca Nacional pelo seu trabalho como crítica literária. No ano seguinte, foi a ganhadora do prêmio Jabuti na categoria ensaios, pelo livro “Folhetim”, um ensaio sobre o gênero do romance de folhetim.

Além desse trabalho, Marlyse também foi responsável pela organização do livro “Do Almanak aos Almanaques”, obra que virou referência no estudo dessas publicações populares, e pela tradução do clássico “Raízes do Brasil”, de Sérgio Buarque de Holanda, para o francês.

Entre os livros e revistas doados para a Biblioteca do IEB, os principais temas abordados são literatura e teoria literária, literatura brasileira, francesa e latino-americana, cultura popular brasileira, teatro, sociologia e antropologia.

Para Maria Itália, a coleção da professora Marlyse vai ser muito importante para o IEB, justamente porque seus volumes abrangem tudo o que está dentro da área do Instituto. “O nosso assunto é Brasil”, diz. No mesmo sentido, Maria acredita que o acervo de Marlyse vem, ainda, complementar outras coleções da Biblioteca, como as dos também ex-professores Hélio Lopes e José Aderaldo Castello.

.