Metodologia desenvolvida na EESC pode prever ameaças à segurança hídrica

Publicado em Meio ambiente por em

Keite Marques / Assessoria de Comunicação da EESC

Incertezas climáticas, tendências de crescimento populacional e mudanças no estilo de vida são iminentes preocupações que ameaçam a segurança hídrica no Brasil e no mundo. Pesquisa desenvolvida na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) propõe uma metodologia de avaliação da segurança hídrica baseada no balanço de águas azul e verde, que são definidas de acordo com o processo hidrológico e unidade de armazenamento envolvidos.

O trabalho A blue/green water-based accounting framework for assessment of water security, desenvolvido pela doutoranda Dulce Buchala Bicca Rodrigues, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Hidráulica e Saneamento, recebeu Menção Honrosa no prêmio Sustainability Innovation Student Challenge Award (SISCA) de Inovação e Sustentabilidade, promovido pela Dow, indústria química e fabricante de soluções para diversos produtos, em parceria com o Instituto de Química (IQ) da USP.

A categorização dessas parcelas do ciclo hidrológico determina sua capacidade de utilização e é capaz de promover a gestão integrada do solo e recursos hídricos, buscando-se o atendimento de demandas hídricas para atividades humanas e manutenção de ecossistemas aquáticos conforme a disponibilidade hídrica no espaço e no tempo. “Nossos resultados revelam padrões espaciais e temporais de ocorrência dos indicadores e contribuem para o entendimento de como e quando ameaças à segurança hídrica podem ocorrer”, explica a pesquisadora.

O trabalho integra a tese de doutorado que foi elaborada sob orientação dos professores Eduardo Mario Mendiondo, do Departamento de Hidráulica e Saneamento da EESC, e Hoshin V. Gupta, da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos. “A Menção Honrosa traz uma reflexão de como inovar aliando novas tecnologias de engenharia com conhecimentos clássicos e tradicionais, úteis tanto para a sala de aula como para os órgãos licenciadores e tomadores de decisão”, destaca Mendiondo.

O SISCA aconteceu no dia 11 de novembro, no Auditório da Administração da Escola Politécnica (Poli) da USP, e abordou o tema “Inovação, ciência e sustentabilidade nos Jogos Olímpicos Rio 2016″. Participaram do workshop de premiação a líder de Sustentabilidade e Legado do Comitê Organizador do Rio 2016, Tania Braga, a diretora de Sustentabilidade da Dow para a América Latina, Christianne Canavero, e do diretor de P&D da Dow, Marcos França.

Prêmio SISCA

Alinhado às metas de sustentabilidade da Dow para 2015, o prêmio é anual com o objetivo de incentivar ideias, soluções e tecnologias em inovação e sustentabilidade por meio de trabalhos de ponta, além de promover e cultivar novos pensamentos sobre sustentabilidade e inovação, auxiliando também à promoção da USP e fomentando parcerias acadêmicas no Brasil e América Latina.

Esta é a sexta edição do prêmio SISCA no Brasil e teve 80 trabalhos inscritos entre teses e dissertações dos alunos de pós-graduação da USP nas categorias saúde, meio ambiente, clima, energia, segurança de produtos, comunidade e química sustentável. Os selecionados, de vários cursos, entre eles direito, engenharia e física, foram avaliados por um comitê formado por professores da USP seguindo critérios como originalidade e relacionamento com o tema.

Iniciativa global, o SISCA premia anualmente estudantes de 17 universidades ao redor do mundo que apresentem projetos que abordam os desafios mundiais em sustentabilidade. Para Dulce sua participação no evento foi importante pelo contato empresa-universidade valorizando trabalhos relevantes em ambos os setores. “Foi um momento grande satisfação pessoal pelo reconhecimento do meu trabalho por uma renomada empresa multinacional e pela expectativa de contribuição para a sociedade brasileira”, destacou.

Outros detalhes da programação podem ser conferidos neste link.

Mais informações: email dulcebbr@gmail.com

.