SIBi comemora 30 anos com exposição no Museu da Língua Portuguesa

Publicado em Cultura, Institucional, USP Online Destaque por em

Patricia Golini, especial para o USP Online

Em 2012, o Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP completa 30 anos de existência. Para comemorar as três décadas de atividade, a entidade, em parceria com o Museu da Língua Portuguesa, abre a exposição Conhecimento: custódia e acesso, que irá do dia 13 de março a0 30 de abril. Gratuita, a mostra irá discutir a importância das bibliotecas para a construção do conhecimento, motivando a reflexão sobre as evoluções tecnológicas que tornam a informação cada dia mais acessível, desde o surgimento da escrita até a disponibilização das obras pela internet.

Segundo a professora Sueli Mara Ferreira, diretora da exposição, a mostra não se restringe a explicar o funcionamento do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP. “A exposição usa como pano de fundo São Paulo e sua universidade. E desvia-se da biblioteca para abordar a sociedade sob uma perspectiva mais aberta e universal. Mostramos a história da custódia do conhecimento, que vai de Gênesis, representando a conscientização da existência da informação, ao mundo virtual, passando pelas escritas rupestres, pelos monges copistas da Idade Média, chegando à impressão de livros em larga escala”, descreve.

Saber, biblioteca e tecnologia

A exposição se divide em três módulos. O primeiro deles mostra o conhecimento como o pecado original, que surge com Adão e Eva. A existência da informação torna-se consciente e tutorada pelo Estado e pela Igreja. Então, adquire valor, passa a ser considerada patrimômio, é organizada e custodiada, e está sempre ligada à ideia de sacralidade em relação à sua guarda e acesso.

A segunda parte da mostra relata o surgimento das bibliotecas no Brasil. O módulo faz uma retrospectiva sobre o projeto de construção da modernidade paulista, utilizando de seus símbolos de progresso e civilização. A história passa pelo desenvolvimento das bibliotecas, dos cursos de Biblioteconomia e da profissão de bibliotecário. Ainda, resgata a influência da Semana de Arte Moderna de 1922 no debate político e cultural que contribuira para a criação de uma universidade paulista, um templo do conhecimento. “A partir deste momento, focamos no SIBi. Mostramos a USP e seu Sistema Integrado de Bibliotecas como um caso exemplar para ilustrar esses processos”, diz a diretora.

O terceiro módulo relata a importância do desenvolvimento das tecnologias da informação e comunicação, estimulando nos visitantes questionamentos, que tangenciam a aparência e funcionamento da biblioteca do futuro, em um mundo em que papel e tinta deixam de existir. Alinhado a isso, o SIBi lança uma plataforma de busca integrada, no site da entidade.

Para o curador da exposição, Marcos Galindo,

“a mostra é mais que uma celebração dos 30 anos do SIBi, ela pretende ser um espaço de reflexão sobre o papel das bibliotecas em ambiente de câmbio acelerado pela instalação social do ciberespaço, mediado e instrumentalizado pelas tecnologias da informação.”

Aos visitantes, como analisa a bibliotecária Rosely Mulin, “a exposição mostra que a biblioteca é mais do que o lugar onde ficam livros, é o local onde as ideias são compartilhadas. Isso é revelado o tempo todo, seja pela linha do tempo, ou pela apresentação dos personagens, essenciais na criação das bibliotecas”.

A exposição está aberta a todos os públicos interessados na produção e acesso ao conhecimento, principalmente alunos de ensino médio, universitários e pós-graduandos, pesquisadores, professores e profissionais interessados em produção do conhecimento, recursos de acesso e recuperação de informação, acervos e bibliotecas memoriais. O público pode visitar a mostra gratuitamente na Sala da Imprensa Oficial, no Museu da Língua Portuguesa.

Serviço

Conhecimento: custódia e acesso fica aberta até 29 de abril, de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. A entrada é franca. O Museu da Língua Portuguesa fica na  Praça da Luz, s/nº, Centro, São Paulo. 

.