ECA recebe evento sobre intercâmbio musical através da internet

Publicado em Artes, Tecnologia por em

A Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP recebeu no dia 22 de março um evento batizado como Netconcert. Trata-se de um concerto experimental que faz parte de um projeto entre o SARC (Sonic Arts Research Centre, da Queen’s University) e o grupo MOBILE da ECA. Músicos que estavam em diferentes lugares do mundo se uniram digitalmente para executar obras de música eletroacústica. As apresentações também contaram com telas para transmissão de imagem simultânea.

Análogo a uma linha de pesquisa coordenada pelo professor Fernando Iazzeta, do Departamento de Música (CMU)  o projeto explora as possibilidades artísticas e técnicas do uso da rede para produzir música. Do grupo MOBILE, participam 13 pessoas que se dividem entre tocar, compor e cuidar da produção e da parte técnica do concerto.

Quem conta um pouco mais sobre esse concerto é o professor Iazzetta: “Para este concerto, enviamos duas pessoas do grupo (uma doutoranda e uma recém-doutora) para Belfast que irão fazer parte do grupo de lá. Temos um intercâmbio regular com o SARC, recebendo e enviando alunos de pós-graduação para estágios de curta duração. Eventos desse tipo não são comuns. Este é o segundo que realizamos (o primeiro foi no início do ano passado) e a ideia é realizar mais um concerto no segundo semestre, desta vez incluindo um terceiro grupo, provavelmente de Stanford nos EUA.”

Julian Jaramillo, aluno do curso de doutorado em música pela ECA, comenta que a montagem e preparação para o concerto demorou cerca de três dias. Foi preciso adaptar toda a infraestrutura do teatro Lupe Cotrim, localizado no prédio central, para poder realizar essa ideia. Sobre o concerto, ele acrescenta: “Essa experiência tem a ver com uma estética que não trata apenas de música, envolve aspectos como o da transmissão, por exemplo, pois o espaço para os diferentes envolvidos não é o mesmo, possuem significados distintos.”

O professor Iazzetta também comenta que iniciativas como essa existem desde os anos 90, mas que o concerto de hoje conta com pelo menos duas diferenças do que já foi feito até então: “A primeira é que as peças foram compostas para o ambiente de rede, ou seja, incorporam as características do ambiente (atraso gerado pelas conexões, feedback, interação etc.), e a segunda diferença é que há também uma pesquisa acadêmica relativa à parte técnica. Nosso setup explora diversos modos de conexão e usa uma rede de alta-velocidade da USP.”

Com informações do Laboratório Agência de Comunicação (LAC) da ECA

Mais informações: email http://sites.google.com/site/sarcusp/program 

.