portal20150416_11
Suzana Xavier

USP e as Profissões: o mundo da ciência para futuros uspianos

Publicado em Educação, USP Online Destaque por em

Thiago Castro, para o Jornal da USP

A USP está com inscrições abertas para visitas monitoradas às suas unidades de ensino e pesquisa, uma das atividades do Programa USP e as Profissões, coordenado pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária. As visitas já aconteceram nos campi de Ribeirão Preto, nos dias 24 e 25 de março passado, e de São Carlos, no dia 1º de abril. Em Ribeirão, 749 alunos participaram desta edição do evento, número três vezes maior do que o do ano passado. Já em São Carlos, a participação chegou a mais de 1.600 estudantes.

A novidade é que, neste ano, o calendário foi unificado para fortalecer a participação do público, sobretudo de escolas públicas. Até 2014, as visitas eram realizadas de março a outubro, conforme as datas mais convenientes para as unidades. Segundo Juliana Costa, chefe da Divisão de Ação Cultural da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária e coordenadora-executiva do Programa USP e as Profissões, o esquema dificultava a participação de escolas públicas, que não têm logística suficiente para levar pequenos grupos em diferentes dias, fazendo com que muitos alunos vissem cursos nos quais não estavam interessados. O resultado disso era uma participação maciça de cursinhos preparatórios, que dispõem de mais recursos.

A mudança veio para atrair mais o público, sobretudo estudantes de escolas públicas. “Propusemos que as diversas unidades da Universidade tentassem articular um ou dois dias, para que todos os cursos e o campus como um todo ficassem preparados para receber grupos de fora. Em 1º de abril, aconteceu a visita a São Carlos. Todos os cursos se articularam e receberam mais de 1.600 pessoas, e, após uma palestra de recepção, os alunos foram então dirigidos para as graduações de sua opção.”

Capital

portal20150416_2Assessoria ICMC

Já no campus da capital, as mudanças foram menos incisivas. Devido ao tamanho e à quantidade de unidades – só na Cidade Universitária há 24 unidades de ensino e pesquisa –, os cursos serão aglutinados conforme sua proximidade. Por exemplo, o Quadrilátero da Saúde (Faculdade de Medicina, Faculdade de Saúde Pública, Escola de Enfermagem e Instituto de Medicina Tropical) terá um dia próprio. Já para os cursos de Engenharia, haverá uma data diferente.
Apesar de não conseguir reunir todas as visitas em um único dia, o campus da capital conta com uma vantagem: a consolidação da Feira de Profissões, mais uma iniciativa do programa da Pró-Reitoria para mostrar a Universidade aos alunos do ensino médio. Sempre no mês agosto, a cada ano o público se amplia, tendo chegado a 50 mil em 2014, fortalecendo a relação da Universidade com os novos ingressantes. Os alunos têm possibilidade de conhecer todos os cursos que a Universidade oferece, de um jeito mais leve e dinâmico, pois, além do caráter técnico, há também a exposição de pesquisas dos graduandos, descobertas e protótipos.
Segundo Juliana, tais ações se devem a mudanças da visão da Reitoria para com os novos ingressantes da Universidade. O reitor Marco Antonio Zago, em entrevista ao Jornal da USP, em sua primeira semana como reitor, declarou que pretende, até 2018, que pelo menos 50% dos ingressantes na USP sejam oriundos de escolas públicas. A alteração do foco nas visitas monitoradas vem para fortalecer essa posição.

portal20150416_4O objetivo das visitas monitoradas é apresentar o curso de graduação que o eventual candidato pretende fazer e também dar oportunidade a ele de conhecer a infraestrutura da escola e a unidade que frequentará. As visitas são planejadas para uma visão aprofundada sobre os cursos e o que a Universidade produz, e são um espaço de diálogo entre o candidato e os professores.

Nos últimos cinco anos, foram oferecidas cerca de 12 mil inscrições para as visitas, número próximo ao de vagas ofertadas no vestibular, que chega a quase 11.600. O programa também publica um catálogo que mostra os cursos, carreiras e atividades que a USP desenvolve.

Segundo Juliana Costa, as novas medidas já trouxeram resultados. “Em Ribeirão Preto, uma comissão acadêmica observou que houve um aumento dos estudantes de escolas públicas entre as pessoas que compareceram. A primeira escola a chegar ao campus foi um colégio estadual da cidade de Batatais. Percebemos que ali, no primeiro horário do primeiro dia, o quadro já tinha se revertido um pouco.”

Para se inscrever no programa de visitas monitoradas às unidades da USP, basta acessar o site da PRCEU e escolher a opção desejada. Devido à grande procura, em alguns dias as vagas já estão esgotadas. As inscrições são realizadas entre as 8 horas e as 17 horas.

.