Foto: Divulgação / ESO

Grupo liderado por astrônomo do IAG descobre gêmeo de Júpiter em torno de gêmea do Sol

Publicado em Pesquisa, USP Online Destaque por em

Uma equipe internacional liderada pelo astrônomo Jorge Melendez, professor no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, descobriu um planeta com massa muito semelhante à de Júpiter, em órbita de uma estrela do tipo do Sol (HIP 11915), à mesma distância da estrela que Júpiter do Sol. Essa descoberta ganha relevância porque teorias apontam que a formação de Júpiter desempenhou papel fundamental na configuração de nosso Sistema Solar.

A equipe de astrônomos utilizou o telescópio de 3,6 metros do Observatório Europeu do Sul (ESO) para identificar o planeta. De acordo com as teorias atuais, a formação de planetas com a massa de Júpiter desempenha um papel importante na arquitetura de sistemas planetários. A existência de um planeta com a mesma massa e numa órbita semelhante à de Júpiter em torno de uma estrela do tipo do Sol abre a possibilidade de que o sistema planetário em torno desta estrela seja semelhante ao nosso próprio Sistema Solar. HIP 11915 tem aproximadamente a mesma idade que o Sol e, adicionalmente, a sua composição semelhante à do Sol sugere que possam existir também planetas rochosos em órbitas mais próximas da estrela.

Até agora, os rastreios de exoplanetas têm sido mais sensíveis a sistemas planetários que são povoados nas suas regiões mais internas por planetas massivos, com massas de, no mínimo, algumas vezes a massa da Terra. Este aspecto contrasta com o Sistema Solar, onde existem pequenos planetas rochosos nas regiões interiores e gigantes gasosos como Júpiter mais para o exterior.

Conforme teorias mais recentes, a arquitetura do Sistema Solar, tão propícia ao desenvolvimento de vida, foi possível graças à presença de Júpiter e da sua influência gravitacional exercida no Sistema Solar durante a fase da sua formação. Este fato leva especialistas a crer que foi encontrado um planeta gêmeo de Júpiter, um marco importante na busca de um sistema planetário que seja semelhante ao nosso.

Foto: Divulgação / ESO
Foto: Divulgação / ESO

Embora já se tenham descoberto muitos planetas semelhantes a Júpiter a uma variedade de distâncias de estrelas do tipo solar, o planeta recentemente descoberto, tanto em termos de massa como de distância à sua estrela hospedeira, e em termos de semelhança entre esta estrela e o nosso Sol, é o análogo mais preciso encontrado até agora do Sol e de Júpiter.

A hospedeira do planeta, a gêmea solar HIP 11915, não é apenas semelhante ao Sol em termos de massa, mas tem aproximadamente a mesma idade. Fortalecendo ainda mais as similaridades, a composição desta estrela também é semelhante à do Sol. A assinatura química do nosso Sol pode estar parcialmente marcada pela presença de planetas rochosos no Sistema Solar, o que aponta por isso para a possibilidade de existência de planetas rochosos em torno de HIP 11915.

De acordo com Melendez, co-autor do artigo científico que descreve estes resultados, “a procura de uma Terra 2.0 e de um Sistema Solar 2.0 completo, é um dos esforços mais excitantes da astronomia. Estamos muito entusiasmados por fazer parte desta investigação de vanguarda, tornada possível pelas infraestruturas observacionais disponibilizadas pelo ESO.”

Megan Bedell, da Universidade de Chicago e autora principal do artigo científico, conclui: “Após duas décadas de busca de exoplanetas, estamos finalmente vendo planetas gigantes gasosos de período longo semelhantes aos do nosso próprio Sistema Solar, graças à estabilidade de longo termo de instrumentos “caçadores de planetas” como o HARPS, um dos instrumentos mais precisos a detectar exoplanetas, montado no Observatório de La Silla, no Chile. Esta descoberta é, em todos os aspectos, um sinal muito estimulante de que existem outros sistemas solares à espera de serem descobertos.”

São necessárias observações de acompanhamento para confirmar e delimitar o achado, mas HIP 11915 é, até agora, uma das mais promissoras candidatas a abrigar um sistema planetário semelhante ao nosso.

Com informações da Assessoria de Comunicação do IAG e da Assessoria do Observatório Europeu do Sul

Mais informações: site www.eso.org, email jorge.melendez@iag.usp.br, com Jorge Melendez

.