Grupo da EESC tem destaque com projeto desenvolvido em assentamento

Publicado em Ciências por em

O Grupo Enactus CAASO-USP se classificou em terceiro lugar no campeonato Nacional da Enactus Brasil, que aconteceu dias 16 e 17 de julho, em São Paulo. O projeto premiado foi GerAÇÃO Helena,  realizado com 12 famílias do assentamento Santa Helena, em São Carlos (SP).  A ação tem o objetivo de mapear as dificuldades dos assentamento e possibilitar melhores condições de vida e de cultivo no campo.

O grupo coordenado pelo professor do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, Evaldo Luiz Espindola, alcançou ampla visibilidade, mesmo quando comparado a outros times da Rede Enactus do País com mais tempo de experiência. O grupo Enactus CAASO-USP tem menos de dois anos de existência.

A Enactus é uma rede internacional constituída por jovens universitários que tem por objetivo possibilitar a melhoria de vida de comunidades que tenham alguma necessidade específica através de ação empreendedora, aplicando em projetos socioambientais o conhecimento adquirido na sala de aula.

Formado atualmente por 37 alunos de diversos cursos do campus da USP em São Carlos, o grupo Enactus CAASO-USP vem buscando aumentar o número de integrantes da equipe a fim de expandir o modelo de ação com outros projetos sociais, envolvendo novos assentamentos e outros grupos específicos.

As ações executadas tem caráter informativo e técnico, envolvendo diferentes áreas de conhecimento direcionadas a suprir demandas características da comunidade e identificadas pelo grupo como prioritárias, com possibilidade de retorno financeiro aos atendidos. As atividades são desenvolvidas de forma que a comunidade se apodere do conhecimento gerado no âmbito acadêmico, tornando-se apta a continuar sua execução após a saída dos alunos.

Uma das frentes de trabalho do GerAÇÃO Helena é a Rede Agroecológica do Santa Helena, que faz a ligação direta entre produtores e consumidores, conciliando produção e economia com saúde humana e ambiental e valorizando a agricultura familiar. Essa rede gera maior renda para os assentados, ao passo que fornece produtos orgânicos de boa qualidade aos consumidores, com preço mais baixo, maior diversidade de culturas agrícolas e maior nível de informação sobre a fonte desses alimentos.

A partir desse trabalho, o grupo foi inscrito em diversos editais a fim de concorrer a prêmios de incentivo para os projetos e atividades desenvolvidas. O GerAÇÃO Helena ficou entre cinco finalistas do edital “Ford C3 Building Sustainable Communities Projetc Partneship 15-16 Aplication” e na avaliação final conquistou o primeiro lugar, recebendo US$ 5 mil para serem investidos no próprio projeto.

O relatório com os resultados desde o início das atividades até o final do primeiro semestre de 2015 mostra a eficiência da atuação do grupo: 30 famílias obtiveram acesso a alimentos de qualidade produzidos de forma orgânica, 550 itens deixaram de ser desperdiçados graças a esse método de produção, nove famílias foram empoderadas com técnica de biofertilização, oito famílias fixadas no campo tiveram aumento de 36% na renda, 12 pessoas tiveram acesso a água clorada, 12 famílias receberam filtros de barro e manuais de boas práticas sobre o uso da água, 10 famílias foram orientadas sobre higiene pessoal, 15 pessoas receberam tratamento dentário, além do fortalecimento da rede de relacionamentos entre os assentados.

Por Keite Marques da Assessoria de Comunicação da EESC-USP

Mais Informações: http://www.eesc.usp.br/portaleesc/index.php?option=com_content&view=article&id=2436&Itemid=164

.