Monografia da FEARP é destaque do Prêmio Corecon-SP de Excelência em Economia

Publicado em Comportamento por em

A monografia desenvolvida pelo ex-aluno do curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP) Wellington Romero da Silva conquistou o 1º lugar entre as melhores monografias do Estado de São Paulo no Prêmio Corecon-SP de Excelência em Economia. A premiação foi realizada no dia 10 de agosto pelo Conselho Regional de Economia de São Paulo.

Wellington conquistou o prêmio com o tema “Trabalho e bem-estar: uma comparação entre casais heterossexuais e homoafetivos brasileiros”, orientado pelo professor Daniel Domingues dos Santos.

“A FEARP, com certeza, é uma das grandes responsáveis pela conquista desse prêmio, dada a altíssima competência do corpo docente, discente e técnico-administrativo da Faculdade, que serviram de suporte para que o trabalho fosse desenvolvido com qualidade”, afirma Wellington.

Ele ainda comentou sobre a importância de sua orientação. “Meu orientador foi essencial para a excelência e reconhecimento do trabalho, pois acreditou em meu projeto de monografia e sempre esteve disponível para ajudar e dar novas sugestões e ideias ao trabalho”.

A premiação foi entregue na mesma noite em que o Corecon-SP e a Ordem dos Economistas do Brasil (OEB) entregaram o Prêmio Economista do Ano 2015.

Trabalho premiado

O objetivo do trabalho foi comparar o nível de bem-estar econômico dos casais brasileiros de diferentes orientações sexuais (heterossexual e homossexual), sem filhos e/ou parentes, utilizando como parâmetro de análise a renda familiar total do casal. A base de dados utilizada foi o CENSO brasileiro do ano de 2010.

De acordo com Wellington, os resultados mostram que os casais homoafetivos de ambos os gêneros (masculino e feminino) apresentam níveis superiores de bem-estar econômico em comparação aos casais heterossexuais, ou seja, renda familiar maior. “Verificamos que esses níveis mais elevados devem-se, em grande parte, à maior acumulação de capital humano e de discriminação positiva, a favor dos homossexuais, no mercado de trabalho”, explica. Ele afirma que é necessário ressaltar que os resultados encontrados devem ser analisados com prudência, principalmente devido à baixa quantidade de observações de casais homoafetivos na amostra do CENSO.

Mais informações: (16) 3315-3522

.