Ex-reitor José Goldemberg é o novo presidente da Fapesp

Publicado em Institucional por em

O governador Geraldo Alckmin nomeou José Goldemberg como novo presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O decreto de nomeação foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo no último dia 22 de agosto. Goldemberg encabeçava a lista tríplice definida pelo Conselho Superior da Fundação e encaminhada para a escolha do governador em 12 de agosto, da qual também fizeram parte os conselheiros José de Souza Martins e Eduardo Moacyr Krieger, este, vice-presidente da Fundação.

O novo presidente da Fapesp é doutor em ciências físicas, professor emérito do Instituto de Física (IF) e do Instituto de Eletrotécnica e Meio Ambiente (IEE), honorário do Instituto de Estudos Avançados (IEA) e colaborador sênior no IEE, todos pela USP. Como professor ou pesquisador esteve nas Universidades de Paris (França), Princeton e Stanford (Estados Unidos) e Toronto (Canadá).

Um dos maiores especialistas em energia no mundo, Goldemberg é conhecido defensor do uso de novas tecnologias para promover o desenvolvimento sustentável. O ex–reitor da USP, de 1986 a 1990, foi presidente da Companhia Energética de São Paulo e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, ministro da Educação, secretário do Meio Ambiente da Presidência da República e secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, entre diversos outros cargos. Em 2007, copresidiu o painel de estudos do InterAcademy Council (IAC), responsável pelo relatório Lighting the Way: Towards a Sustainable Energy Future. Desde fevereiro de 2014, ocupa como membro efetivo a cadeira nº 25 da Academia Paulista de Letras (APL).

Foi selecionado pela revista Time como um dos 13 “Heroes of the Environment” em 2007. No ano seguinte, Goldemberg foi agraciado com o Prêmio “Blue Planet”, patrocinado pela Fundação Asahi Glass, concedido anualmente a pessoas e organizações que se destacam em pesquisas e formulação de políticas públicas na área ambiental e por sua importante participação na realização da Rio 92. No ano de 2010, foi o ganhador do Prêmio de Ciência de Trieste Ernesto Illy, distinção entregue na época pelo primeiro–ministro da Índia. O prêmio, no valor de US$ 100 mil, é concedido anualmente a pesquisadores de países em desenvolvimento por contribuições importantes à ciência e tem o apoio da illycaffè, da Fundação Ernesto Illy e da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS).

Em janeiro de 2013, obteve mais um reconhecimento internacional, sendo o vencedor do Prêmio Zayed de Energia do Futuro (Zayed Future Energy Prize) na categoria Life achievement, concedido a profissionais de destaque na área de energia renovável. Das mãos do xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Goldemberg recebeu o prêmio no valor de US$ 500 mil em uma cerimônia na capital dos Emirados Árabes Unidos (EAU). Em 2014, recebeu o Prêmio Professor Emérito – Troféu Guerreiro da Educação Ruy Mesquita, concedido anualmente pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), em parceria com o Grupo Estado, às personalidades que lutam pelo aprimoramento da educação no país.

E, no último dia 15 de junho, foi agraciado com o “Prêmio FCW 2014 – na categoria Ciência”, oferecido pela Fundação Conrad Wessel para pessoas de reconhecimento nacional nas áreas de Arte, Ciência, Medicina e Cultura.

Goldemberg substitui Celso Lafer, que presidiu a Fapesp por um período de oito anos, desde agosto de 2007, e cujo mandato no Conselho Superior da Fundação se encerra em 7 de setembro. Professor emérito da USP, Lafer foi professor titular do Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito da Faculdade de Direito da USP, ministro das Relações Exteriores e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Da Assessoria de Imprensa da USP
Com informações da Agência Fapesp

.