Estudo do Cena aborda a resistência de micróbios a antibióticos utilizados em tratamentos de peixes

Publicado em Meio ambiente por em

Da Assessoria de Imprensa do Cena

A crescente resistência dos micróbios frente aos antibióticos utilizados em tratamentos de peixes será tema de estudo do laboratório de Ecotoxicologia, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP em Piracicaba.

Intitulada Ocorrência de antibióticos e estudo de resistência microbiana em sistemas aquiculturais no reservatório de Ilha Solteira/SP, na região de Santa Fé do Sul, a pesquisa será financiada pela Fapesp, com investimentos em torno de R$1 milhão, que serão utilizados para a compra de equipamentos de última geração entre outras ações.

Conforme explica Valdemar Luiz Tornisielo, professor do Cena e coordenador do projeto, o fornecimento de ração enriquecida com antibióticos na criação de cardumes para prevenir a mortandade está criando micróbios resistentes aos remédios. “A resistência aos antibióticos é um fenômeno natural. Mas, se não levada a sério, pode provocar o aparecimento de bactérias resistentes nos peixes, no meio ambiente e riscos à saúde pública, como a poluição da água”.

Para as análises serão coletados água, sedimentos e peixes de tanques-rede de tilápias, onde o cardume é confinado para produção em alta escala. “As elevadas concentrações de antibióticos colocados na ração dos peixes devido à expansão da aquicultura intensiva vem proliferando o surgimento de microrganismos resistentes a esses mesmos antibióticos”, lamenta Tornisielo. “Como esse sistema de criação intensiva é de alta produtividade, a quantidade de ração e insumos tende a ser bem maior, fato que gera o uso de uma carga muito grande desses fármacos”, completa.

O projeto está formatado em duas etapas. A primeira visa avaliar a ocorrência de resíduos de antibióticos nos compartimentos ambientais e nos peixes, relacionando aos parâmetros de criação e manejo sanitário adotados pelos aquicultores. A segunda vai verificar a resistência microbiana causada pela utilização desses antibióticos na criação de peixes.

O estudo conta com a participação de cientistas de outros centros de pesquisa, como Sérgio Henrique Monteiro, do Instituto Biológico, e Fabiana Garcia, do Polo Regional da APTA de Votuporanga, responsável pelas análises de resistência microbiana.

“Acreditamos que a pesquisa contribuirá para o crescimento da base acadêmica de conhecimentos sobre a gestão sanitária ambiental e análise de risco ecológico do aquanegócio, além da conscientização dos aquicultores, o que pode favorecer a economia para a criação do pescado e diminuir a contaminação ambiental”, afirma Tornisielo.

Mais informações: (19) 3302.0100, email contato@engenhodanoticia.com.br 

.