Evento de singularidades do ICMC é referência mundial

Publicado em Ciências por em

Davi Marques Pastrelo / Assessoria de Comunicação do ICMC

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), da USP, em São Carlos, realizou neste mês de julho dois importantes eventos na área de singularidades, campo da matemática que trata da geometria e da topologia de espaços e aplicações definidos por polinômios ou equações analíticas, que não são regulares. Entre os dias 16 e 21, ocorreu a Escola de Teoria das Singularidades e, na semana seguinte, de 22 a 27 de julho, o Instituto sediou mais uma edição do Workshop on Real and Complex Singularities. Ambos eventos foram destinados principalmente a jovens pesquisadores e estudantes de pós-graduação.

Considerado um dos maiores eventos mundiais dessa área, o Workshop on Real and Complex Singularities realizou neste ano sua 12ª edição, reunindo mais de 150 pesquisadores de diversos países, como Japão, Estados Unidos, Canadá, França, Itália, Espanha, Polônia, México e Brasil. Neste ano, o workshop homenageou o aniversário de 60 anos do pesquisador Shyuichi Izumiya.

Historicamente, esse foi o primeiro evento regularmente promovido pelo ICMC a se tornar de abrangência internacional. Segundo a professora Maria Aparecida Soares Ruas, do Departamento de Matemática do ICMC e membro do comitê científico do evento, após 22 anos, este é o principal evento internacional da área com periodicidade bienal. “A cada edição o workshop cresce em número de participantes. Através dele, pesquisadores estrangeiros podem conhecer a estrutura do Instituto, e isso pode promover a formação de recursos humanos na área de singularidades e de outras áreas próximas, além de contribuir com a continuidade das pesquisas”, explicou. Ruas disse ainda que o workshop é importante para pesquisadores e alunos pois, através dele, muitos conseguem oportunidades para cursar mestrado e doutorado no exterior.

Esse fator de inserção internacional também foi ressaltado pelo professor Jean-Paul Brasselet, da Universidade de Aix-Marseille, na França. Ele destacou que o evento é o único da área realizado regularmente a cada dois anos com caráter internacional, e possibilita aos pesquisadores continuarem seus estudos em outros países. Já para o participante Jorge Luiz Deolindo Silva, doutorando em Matemática do ICMC, o workshop é uma excelente oportunidade de conseguir novos contatos acadêmicos e profissionais, além de conhecer novas pesquisas desenvolvidas na área.

Para o pesquisador japonês Shyuichi Izumiya, homenageado no evento, o Brasil possui um grande potencial de crescimento na área de singularidades. E a maior parte deste potencial em recursos humanos está concentrada no ICMC, onde há um bom número de pesquisadores de alta qualidade. Izumiya atua no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade de Hokkaido, no Japão, onde desenvolveu sua carreira acadêmica, formando-se Bacharel em Matemática em 1971. Em 1978, concluiu seu mestrado e, em 1984, titulou-se Doutor em Matemática por essa instituição. Atualmente, suas pesquisas concentram-se nas áreas de geometria hiperbólica, geometria clássica diferencial e áreas afins da física, como teoria de gravitação.

O Grupo de Singularidades do ICMC

A teoria das singularidades usa técnicas de vários ramos da matemática e contribui no desenvolvimento de áreas dentro e fora desse campo, como a geometria algébrica, teoria de nós, óptica, robótica e visão computacional. São as amplas aplicações dessa teoria que fizeram o seu sucesso, principalmente durante as últimas três décadas.

Um dos organizadores do workshop, o espanhol Raúl Oset Sinha, afirmou que o Grupo de Singularidades do ICMC é o maior do mundo em sua área. “Durante as palestras plenárias deste ano é possível constatar que há muitas menções às pesquisas desenvolvidas no ICMC. Atualmente são cerca de onze pesquisadores do Instituto que trabalham no campo de singularidades. Isso fez com que São Carlos se tornasse referência na área, e colocou o ICMC no mapa mundial do campo de singularidades”, completou.

A professora Maria Aparecida Ruas explicou que o grupo teve origem na década de 1980, quando ela ainda era aluna, e destacou a participação ativa dos professores Gilberto Loibel e Luiz Favaro. A internacionalização do grupo, no entanto, se fortaleceu a partir da década de 1990. Desde seus primórdios, o grupo teve como destaque a organização dessa conferência internacional bienal, o Workshop on Real and Complex Singularities, que se tornou uma referência mundial. O evento permitiu ao grupo manter contato contínuo com grupos de outros países, e resultou em colaboração de pesquisadores do ICMC com líderes na área de singularidades.

Mais informações: www.icmc.usp.br 

.