Alunos da FEA dão aconselhamento financeiro a funcionários

Publicado em Sociedade, USP Online Destaque por em

Na lixeira de recicláveis de uma seção da USP, a pilha de folhetos publicitários oferecendo empréstimos  não é mera coincidência – servidores públicos são um dos focos preferidos de bancos e instituições de crédito diversas. O principal serviço ofertado é o empréstimo consignado – isto é, a ser pago com desconto diretamente no salário do funcionário. Este mesmo grupo de profissionais, porém, faz parte de uma desagradável estatística: mais de um terço da população brasileira está endividada.

Quem atesta com vigor a informação é a aluna-professora Marina Marinho. Aluna porque cursa o primeiro ano de Administração na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP. E professora ao ‘vestir a camisa’ do Projeto Guiar, surgido em 2007 para aconselhar funcionários da USP sobre a questão do planejamento financeiro.

“Transmitimos nosso conhecimento sobre administração financeira, mostrando como controlar os gastos”, explica Edson dos Anjos, aluno do segundo ano de Contabilidade e atual coordenador do projeto. Identificar gastos desnecessários, como fazer para controlá-los, além de guardar dinheiro e o que fazer com esse capital acumulado estão entre os assuntos tratados.

O curso realizado pelo Programa de Educação Tutorial (PET) da FEA é gratuito e totalmente organizado por alunos da própria Faculdade. Na primeira aula, por exemplo, os inscritos recebem um pequeno glossário, preparado pelos estudantes do projeto. O conteúdo – que também inclui empréstimos, tipos de compra, compra de bens imóveis, investimentos e aposentadoria – é distribuído para não sobrecarregar os professores. “Pedimos ajuda para os veteranos que já passaram pelo projeto, planejamos as aulas e fazemos os slides. Somos bem autônomos”, orgulha-se Marina.

Francisca de Sousa Henrique, funcionária há 27 anos do Restaurante Central da USP, é uma das inscritas no projeto. Ela conta que topou participar para aprender a controlar melhor seu dinheiro. “O projeto está ajudando no meu planejamento, a conduzir melhor o meu salário, não gastar mais do que eu ganho e aprender a lidar com o cartão de crédito”, declara. “Mas o mais importante é o conhecimento, porque nós também podemos passar para outras pessoas que não tiveram essa oportunidade”.

Nós também podemos passar o conhecimento para outras pessoas que não tiveram essa oportunidade.

Os benefícios do curso, porém, não são apenas para os funcionários da USP em papéis de alunos, mas também para os alunos da FEA em seus papéis de professores. “É importante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Aprende-se a se planejar, a ter a responsabilidade, e como explicar os conceitos para facilitar o entendimento e melhorar sua apresentação para o público”, explica Edson.

Para Marina, o Guiar é também uma oportunidade de expandir o conhecimento aprendido dentro das salas de aula da Universidade. “Muitas vezes, os funcionários convivem na USP mas não têm oportunidade de ter esse conhecimento técnico. É nossa obrigação dar de volta para a sociedade o que ela investe em nós”.

Ampliação

A carga horária do curso é de oito horas, dividas em quatro aulas – uma por semana. Sete professores ficam responsáveis por cada turma de 20 alunos – dois professores para cada aula e um único para a última, onde é aplicada uma avaliação final. Neste ano, o Guiar experimentou pela primeira vez a abertura de duas turmas, uma com aulas às terças, e outra às quintas-feiras. “É um teste para ver se nós conseguimos gerir mais turmas visando ampliar o projeto”, afirma Edson. Atualmente, apenas os alunos participantes do PET podem ministrar as aulas no Projeto, mas o coordenador diz que há planos para que isso seja ampliado. “Pensamos que todos os alunos da FEA poderiam dar aulas. Nós apresentaríamos o curso e daríamos uma preparação para podermos atingir um público maior”.

Em seis anos de existência, o projeto já abrangeu cerca de 100 pessoas. Os funcionários chegam até o curso a partir do contato com chefes de departamento da USP. “O RH reúne o grupo de funcionários interessados e eles vêm até nós”, detalha o coordenador. Caso haja ampliação no atendimento, o grupo estuda uma mudança na abordagem dos interessados “Pretendemos abrir um site para pegar um grupo mais avulso, sem a necessidade da intermediação dos chefes de departamento”.

Mais informações: (11) 3091-5840, email petfea@usp.br, site www.petadmusp.com

.