Equipe do campus da USP em São Carlos vence competição latino-americana de futebol de robôs

Publicado em Ciências por em

Fernanda Vilela / Assessoria de Comunicação ICMC

O Warthog Robotics, grupo de robótica da USP em São Carlos formado por alunos da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) e do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), foi o campeão da Latin American Robotics Competition (LARC), na categoria Very Small Size. O evento foi realizado entre 16 e 21 de outubro em Fortaleza (CE) e contou com a participação de 3 mil competidores da América Latina, sendo 16 membros da equipe são-carlense. O grupo também ficou em segundo lugar nas categorias 2D e 3D.

A competição é conhecida como “futebol de robôs” e exige do grupo a preparação de um sistema capaz de produzir estratégias e jogadas para fazer gols na equipe adversária. O estudante de doutorado do ICMC e integrante do Warthog, Marcelo Silva, explicou que existe um sistema de visão computacional que identifica onde os robôs estão no campo e, usando conceitos de geometria analítica, o software traça uma estratégia a partir daquela posição dos jogadores. “Tem uma câmera em cima do campo captando e processando as imagens, para que o sistema possa encontrar a posição dos robôs do mesmo time, os adversários e a bola. Usamos matemática de colegial para encontrarmos a angulação e assim o sistema traça a estratégia de jogo”, disse.

Na categoria Very Small Size jogam três robôs em forma de cubo com 7,5 centímetros de altura em um campo de 1,5 por 1,7 metros. Cada time precisa estabelecer uma cor primária, azul ou amarelo, para que os times sejam identificados. “Nós definimos as posições de jogo de cada robô, então sabemos quem é o atacante, meio campo e defesa”, explicou Silva, que é um dos fundadores do grupo.

Durante o jogo, os robôs são autônomos, ou seja, não há operação humana na partida. Caso o árbitro perceba que há alguém operando os robôs em campo, é aplicada uma falta e a equipe pode até ser desclassificada do campeonato.

Multidisciplinaridade

Rafael Lang, estudante de mestrado da EESC e coordenador geral do Warthog, explicou que os resultados positivos do grupo se devem ao trabalho de multidisciplinaridade, envolvendo alunos do ICMC e da EESC. “Conseguimos pegar um time que já estava ganhando e montar uma equipe com um nível ainda mais alto”, disse.

Lang apontou ainda que, por conta do trabalho envolvendo diversos cursos, o grupo consegue criar robôs com capacidade eletrônica e computacional elevadas. “Não adianta pegar gente só de computação, pois na parte elétrica o robô ficará fraco. Se tiver só pessoal de engenharia, na parte elétrica o robô vai ficar muito bom, mas o software fica fraco. E nós temos os dois. Poucas equipes conseguem gerenciar isso”, concluiu o estudante.

Sobre o Warthog Robotics

Em 2010, os dois únicos grupos de desenvolvimento de futebol de robôs da USP, o USPDroids e o GEAR, se uniram visando fortalecimento no cenário nacional e internacional de robótica. O novo grupo, Warthog Robotics, é considerado a maior equipe de extensão do campus da USP em São Carlos e de competição em robótica do Brasil. Este grupo é supervisionado pelos docentes do ICMC, Profa. Dra. Roseli Aparecida Francelin Romero, e da EESC, Prof. Dr. Ivan Nunes da Silva.

No mesmo ano de criação do grupo, o Warthog conquistou o primeiro lugar na categoria 2D e o segundo lugar na categoria Very Small Size na mesma competição. Já em 2011, pela Competição Brasileira de Robótica (CBR), o grupo conquistou o primeiro lugar na Very Small e na 3D e ficou em segundo lugar na categoria 2D.

Neste ano, a equipe contou com o apoio das Pró-Reitorias de Cultura e Extensão Universitária, de Graduação e de Pesquisa, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e das empresas Jacto, Griffus, Homis, ICMC Jr., Arbor, Aliança Idiomas, Four C, Ferramentas Bauru e Finamore Rodas.

Mais informações: site www.sel.eesc.usp.br/warthog/

.