Especialista no campo da economia social recebe homenagem na FEA

Publicado em Educação, Institucional, USP Online Destaque por em

Na última sexta-feira, dia 5 de abril, foi realizada na Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis (FEA) da USP uma homenagem ao professor Antonio Carlos Coelho Campino. A ocasião comemorou o seu aniversário de 70 anos de idade, sua aposentadoria e o seu extenso trabalho com Economia Social.

A Economia Social e a FEA

A Economia Social é caracterizada pelo uso da economia no estudo dos aspectos sociais, como educação, saúde, demografia, violência, fecundidade, migrações, discriminação no mercado de trabalho, redução da pobreza – e os aspectos éticos a ela ligados –, além de equidade em educação e saúde.

O estudo de Economia Social na FEA começou com um grande apoio dado pelo professor da Faculdade de Medicina (FMUSP), Alberto Carvalho da Silva, que na ocasião havia sido cassado e estava então trabalhando na Fundação Ford como assessor Científico.

O professor Alberto procurou a FEA para que pudesse agregar ao seu grupo de pesquisa não só profissionais da saúde, mas também economistas. A partir desse encontro, surgiu a primeira pesquisa da FEA em Equidade na Alimentação e Nutrição, intitulada de Estado Nutricional de pré-escolares no município de São Paulo. “O estudo tinha por objetivo avaliar qual era esse estado nutricional e serviu para demonstrar que a economia estava indo muito bem, mas a situação social da população de menos recursos não era nada boa, esta população não estava se beneficiando do crescimento econômico”, conta Campino.

Após essa pesquisa foram criadas duas linhas de atuação de Economia Social dentro do Departamento de Economia da FEA. Uma dessas linhas foi a criação de cursos, como o Curso Multidisciplinar de Nutrição,  a nível de especialização, junto com o pessoal da Escola Paulista de Medicina.

Sobre o homenageado

Campino, como é  carinhosamente conhecido por colegas e alunos, assumiu o ensino na graduação e na pós-graduação de disciplinas relacionadas à teoria econômica, demografia econômica, economia brasileira e economia da saúde. Tornou-se livre-docente pela Universidade de São Paulo em 1977 com uma tese sobre nutrição e economia. Foi eleito chefe do Departamento de Economia entre 1987 e 1989, quando começou a idealizar a vertentes do curso de Pós-Graduação em Nutrição, com realização do Curso sobre Economia da Nutrição, em nível de especialização.

A produção científica do professor é extensa e claramente voltada para o bem-estar social. Foram pelo menos cinco projetos de pesquisa desde 2000 voltados à nutrição, ao acesso da população a serviços de saúde e à proteção social no Brasil e na América Latina. Para o professor, o assunto é mais conhecido atualmente e “muito prestigiado”.

“A Economia visa responder as questões  de quê, quanto, como  e para quem produzir. E, nesse ‘para quem’ você vai produzir para as pessoas que tenham renda para comprar esse determinado bem de produção. Há inúmeros indivíduos que possuem um nível de renda insuficiente, e que não possuem acesso a educação ou a saúde. Por isso, é importante para o aluno de economia estudar e reconhecer esses indivíduos”, destaca Campino.

Mais informações: email campino@usp.br, com o professor Antonio Carlos Coelho Campino

.