Cuba é tema do dossiê da edição 72 da Revista Estudos Avançados

Publicado em Cultura, Sociedade por em

As transformações ocorridas na sociedade cubana no meio século passado desde a vitória da Revolução em 1959, as dificuldades que atravessa e as perspectivas para os próximos anos são discutidas no “Dossiê Cuba” da edição 72 da revista “Estudos Avançados”. O conjunto de textos trata da economia, política, educação, saúde, ciência e produção cultural do país.

Alfredo Bosi, editor de “Estudos Avançados”, explica o interesse no tema pelo fato de as informações que chegam de Cuba serem muitas vezes escassas e imprecisas, com “a mídia registrando aspectos por vezes indesejáveis da estrutura político-partidária”. Bosi destaca os avanços ocorridos em áreas cruciais para o povo cubano, como na educação básica e na saúde pública, ainda que esses avanços tenham se dado com “tendências de enrijecimento e deformações institucionais”. Essas são as razões de a revista procurar entre intelectuais cubanos uma visão mais detalhada das transformações ocorridas a partir da Revolução.

O dossiê contém 17 artigos de 14 autores cubanos (pesquisadores, ensaístas, jornalistas, literatos e críticos de arte) e dois brasileiros, Frei Betto e Luiz Carlos Bresser-Pereira. Os textos apresentam um panorama das transformações havidas no país e propõem mudanças e melhorias em setores em que o próprio governo cubano reconhece haver deficiências.

Em “Cuba: A Sociedade após Meio Século de Mudanças, Conquistas e Contratempos”, artigo que abre o dossiê, o sociólogo Aurelio Alonso, da Universidade de Havana, comenta que a vitória revolucionária de 1959 transformou a estrutura econômica e social, mudando também as concepções e o imaginário do povo cubano. Nas conclusões do texto, diz que Cuba, com seu sistema político carente de participação mais efetiva, com sua economia carente de reformas, com sua sociedade carregada de penúrias, de desalento e incertezas, não perdeu os valores que a distinguem nem manifesta disposição para abandonar a utopia socialista.

A idéia inicial de publicar o dossiê surgiu durante a participação do editor assistente da revista, Dario Borelli, em encontro internacional de editores de periódicos culturais acontecido em Havana em meados do ano passado. A concretização do trabalho foi possível graças à colaboração do crítico literário Roberto Fernández Retamar, diretor da Casa de las Américas, que possibilitou o contato com os intelectuais cubanos.

Além do “Dossiê Cuba”, a edição contém a seções “Depoimento”, “Textos” e “Resenhas”. Na primeira, o historiador e cientista político Luiz Felipe de Alencastro discorre sobre sua formação, influências e pesquisas. “Textos” reúne ensaio de Fábio Konder Comparato sobre o capitalismo, a conferência que Peter Burke fez no IEA em 2010 sobre a “República das Letras” europeia de 1500 a 2000, artigo de José Roberto Castilho Piqueira e Tatiana Rodrigues Nahas sobre o uso de algumas ferramentas matemáticas em estudos relacionados à biologia e ensaio de Marcus Mazzari sobre “Grimms Wörter: Eine Lieberserklärung” (“Palavras de Grimm: Uma Declaração de Amor”), de Günter Grass.

“Estudos Avançados” nº 72, 342 páginas, R$ 30,00 (assinatura anual com três edições por R$ 80,00). Mais informações sobre como adquirir exemplares ou assinar a publicação podem ser obtidas com Edilma Martins (edilma@usp.br), tel. (11) 3091-1675.

Do site do IEA

Editorial

Um encontro internacional de editores de periódicos culturais realizado em Cuba, e do qual participou nossa assistência editorial, deu ocasião à matéria deste número de “Estudos Avançados”. Agradecemos à Casa de las Américas, cujo diretor, Roberto Fernández Retamar, nos franqueou generosamente o acesso aos estudiosos cubanos aqui publicados.

As informações que nos chegam de Cuba são, em geral, escassas e lacunosas. A mídia registra eventualmente aspectos indesejáveis da estrutura político-partidária vigente na Ilha. Convenhamos que é pouco para saber o que se passa no bojo de uma sociedade que conheceu, já faz meio século, uma radical transformação econômica, política e cultural. É notório que houve avanços em algumas áreas cruciais, como a educação básica e a saúde pública, mas esses progressos deram-se paralelamente a tendências de enrijecimento burocrático e deformações institucionais. Constatamos com satisfação que os colaboradores do presente dossiê elaboram uma versão crítica dessas distorções.É alvissareira a emergência de uma mentalidade renovadora entre intelectuais cubanos que continuam acreditando na possibilidade de conjugar socialismo e democracia.

O leitor encontrará um acervo de informações e comentário sobre aspectos fundamentais da economia, da política e da vida cultural da Cuba contemporânea. As crises que se seguiram ao desmantelamento da União Soviética tiveram, como era de prever, efeitos desastrosos no tecido econômico da Ilha. No entanto, a criatividade da sua cultura parece intacta. Basta ler o que está registrado nestas páginas: a manutenção do sistema educacional, o cuidado com a saúde pública, o cultivo da ciência básica, o interesse pelas várias formas de cultura popular, a vitalidade do cinema, do teatro, da música, das letras e das artes plásticas. Humor mais espírito crítico, sem esmorecer a confiança no futuro, será talvez essa a explicação desse ethos singular.

Uma seção de depoimentos de intelectuais brasileiros de envergadura internacional integra o bloco de textos vários e resenhas que fazem parte constante da pauta de “Estudos Avançados”.

Alfredo Bosi
Editor

.