Fotógrafos contemporâneos ganham mostra no MAC sobre natureza e corpo

Publicado em Artes, USP Online Destaque por em

Até o dia 15 de abril,  o Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP abriga a exposição Fotógrafos da Cena Contemporânea, que apresenta trabalhos produzidos a partir de meados da década de 1950, por profissionais como Claudio Edinger, Adriana Varejão, Vik Muniz, entre outros. De acordo com Helouise Costa, curadora responsável pela exposição, essas fotografias “tratam da relação entre cultura e natureza, da materialidade do corpo, da sexualidade, bem como das ações e performances artísticas”.

Helouise explica que o material de toda a exposição provém da Coleção do Banco Santos, que após denúncias de crimes contra o sistema financeiro, foi transferida, em 2005, para sete museus da cidade de São Paulo, entre eles o MAC. “A ideia da exposição “Fotógrafos da Cena Contemporânea” surgiu a partir da necessidade de mostrar a importância da Coleção do Banco Santos”, diz.

Moderno versus Contemporâneo

Além dessa mostra, a coleção do Banco Santos rendeu ainda a exposição “Fotógrafos da Vida Moderna”, que foi apresentada ao público em 2008. “A primeira apresentou imagens que se remetiam às transformações culturais advindas da modernização, por meio da fotografia tomada diretamente do real e das fotomontagens”, afirma Helouise. O período retratado daquela vez compreendeu o final do século XIX até o início dos anos 50

Com “Fotógrafos da Cena Contemporânea”, porém, a intenção é apontar a mudança radical na atitude do fotógrafo/artista, que passa a empregar o dispositivo fotográfico em sentido mais amplo. Segundo Helouise, “Isso inclui não só a tomada tradicional com a câmera, mas também encenações, manipulações, hibridações com outros meios ou mesmo o uso de recursos digitais”.

A partir dessas duas exposições, o objetivo do MAC é “conscientizar a sociedade sobre a importância da permanência dessa importante coleção em uma instituição pública, dada a inexistência de um patrimônio fotográfico semelhante em território nacional”, como explica Helouise. Além disso, pretende-se apontar as inúmeras possibilidades que estas obras oferecem para o estudo da fotografia, não só nacional como também estrangeira.

Natureza e corpo

A exposição “Fotógrafos da Cena Contemporânea” conta com 63 obras de fotógrafos e artistas de diversas nacionalidades. Apenas alguns poucos trabalhos são do acervo do MAC. A temática principal das fotografias gira em torno do homem e da natureza. Paisagens e imagens bucólicas retratam a visão humana sobre determinados ambientes, assim como sua relação com esses lugares.

Segundo a curadora, que também é docente do MAC, a exposição aborda naturalmente a questão do fazer artístico. “Desde a sua invenção, a fotografia colocou em xeque o conceito tradicional de arte”. Ela conta também que, pelo fato de estar presente em diferentes contextos, como o jornalismo, a moda, a publicidade, etc, “a imagem fotográfica instaura uma forte ambiguidade ao ser deslocada para o ambiente dos museus e galerias”.

Para Helouise, nessa exposição, certas imagens que em outro circuito poderiam ser consideradas obscenas, levantam questões sobre a multiplicidade dos papéis e práticas sexuais na atualidade. É o caso das fotografias que expõem a nudez e o sexo, e que ficam em um espaço reservado para maiores de 18 anos. “Os limites do que pode ou não ser considerado obsceno são colocados à prova, assim como os limites do que se constitui como artístico hoje”, completa.

Serviço

A exposição “Fotógrafos da Cena Contemporânea” fica em cartaz no MAC até o dia 15 de abril de 2012. As visitas podem ser feitas de terça à quinta-feira, das 10 às 20 horas e às quartas, sextas, sábados, domingos e feriados, das 10 às 18 horas. A entrada é gratuita.

O MAC fica na Rua da Praça do Relógio, 160, Cidade Universitária, São Paulo.

Mais informações: (11) 3091-3039

.