Grupo da FEA estuda uso de ferramentas de TI nas organizações

Publicado em Tecnologia, USP Online Destaque por em

Com o advento de novas tecnologias, tornou-se comum na maioria das organizações a utilização dos sistemas de Tecnologia da Informação (TI), tendo em vista a necessidade de um processo aperfeiçoado de gestão que controlasse os novos recursos disponíveis. A antiga informática tornou-se então um conjunto de ferramentas imprescindíveis para administração dos negócios e tomada de decisões.

Apostando no desenvolvimento de pesquisas nessa área e oferecendo apoio à gestão empresarial e educacional, o professor Edson Luiz Riccio criou, em 1994, o Laboratório de Tecnologia e Sistemas de Informação (TECSI) da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP.

“Nosso objetivo é estudar os efeitos dos sistemas e tecnologias de informação na sociedade em geral e nas organizações, sejam elas públicas ou privadas. Para isso, utilizamos os nossos conhecimentos de gestão, administração e contabilidade”, afirma o docente da FEA.

Atualmente, além de pesquisas, o Laboratório presta serviços e esclarecimentos para instituições que o procuram, participando de diversos projetos dentro e fora da Universidade. A equipe é formada por alunos da graduação, de mestrado e de doutorado, além de contar com o apoio de professores da USP e de outras universidades como Mackenzie e PUC.

Para Nilton César Teixeira, consultor de TI, a procura por essas tecnologias está crescendo cada vez mais, pois elas contribuem para o aumento de eficiência e competitividade. Segundo ele, ferramentas transformam dados em informações, e informações em conhecimento, provendo às empresas grande visibilidade para atuarem em seus respectivos segmentos. “Além de ações preventivas, realizamos verificações periódicas e oferecemos soluções para recuperação de informações em casos de perda, o que é essencial para as empresas hoje”, explica Nilton.

Tecnologia para todos

Uma das vertentes do laboratório se baseia no programa Information and Comunnication Technologies for the Development (ICT4DEV), criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e desenvolvido em diversos países. Seu objetivo é analisar e planejar como a TI pode e deve ser usada para a redução da pobreza e para a melhoria das condições de vida do ser humano, além de adotar os princípios do “acesso universal” (utilizar as tecnologias de informação para o acesso das pessoas com deficiência).

“O foco desse projeto é fornecer tecnologia para toda a população, aumentando a capacidade das comunidades mais pobres de acessar a informação”, afirma o professor Riccio, que também é presidente da Comissão de Cooperação Internacional (CCInt) da FEA.

A participação do TECSI está na liderança, juntamente com a Fondazione Rosselli Americas (EUA) e a Universidade de Insubria (Italia), de um acordo internacional entre diversas universidades, cujo objetivo é divulgar iniciativas e organizar seminários internacionais na área. O projeto ficou conhecido como Information and Comunnication Technologies for the Development International School (ICT4DEVIS), e contará inicialmente com a criação de um curso internacional, feito em conjunto pelos participantes do acordo.

Comunicação de dados

Outro projeto do laboratório é o XBRL Brasil, que se baseia no padrão dirigido por um consórcio internacional sem fins lucrativos (XBRL International Incorporated) ao qual se filiam mais de 500 organizações, entre entidades reguladoras, agências governamentais e empresas de software.

Ele foi iniciado no Brasil em 2008 com o apoio do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), da Bolsa de Valores (Bovespa), do Banco Central do Brasil, da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), da Receita Federal, entre outros.

Seu objetivo é implementar no país uma tecnologia já utilizada no exterior que serve para a comunicação de dados entre as empresas e o governo ou mesmo entre as próprias empresas.

Congresso internacional

De 30 de maio a 1 de junho, o laboratório realizará a nona edição do Congresso Internacional de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação (CONTECSI). Criado em 2004, ele visa abrir um espaço para que estudantes e professores possam expor e discutir as suas experiências na área.

Segundo Riccio, o CONTECSI recebeu neste ano 350 trabalhos, sendo que aproximadamente 200 serão selecionados. Os cinco melhores receberão uma menção honrosa e serão convidados a publicar seus estudos na revista acadêmica criada pelo laboratório, a Jistem.

Mais informações: site www.tecsi.fea.usp.br, email elriccio@usp.br.

.