MENUMENU

FFCLRP treina profissionais que atuam com adolescentes infratores

O objetivo do curso é oferecer conteúdo e métodos baseados em pesquisas científicas atuais para profissionais que atuam no campo das intervenções sócio-jurídicas envolvendo adolescentes em conflito com a lei.

Do Serviço de Comunicação Social da Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto (CCRP) da USP

Cerca de 30 alunos, graduandos em ciências humanas e sociais aplicadas como psicologia, educação/pedagogia, serviço social e direito, que atuam em instituições de atendimento ao adolescente em conflito com a Lei, concluem este mês o curso de aperfeiçoamento Fundamentos e Metodologias de Avaliação e de Intervenção Psicossocial em Programas Sócio-Educativos para Adolescentes em Conflito com a Lei, oferecido no Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

O objetivo do curso, que tem 180 horas, é oferecer conteúdo e métodos baseados em pesquisas científicas atuais para profissionais que atuam no campo das intervenções sócio-jurídicas envolvendo adolescentes em conflito com a lei.

Este mês o curso conta também com a participação dos professores Marie-Marthe Cousineau, Michèle Goyette, Danielle Pelletier-Basque e Jean Lemire, da Universidade de Montreal e do Centres Jeunesse de la Manteregie, de Quebec, Canadá.

Segundo as coordenadoras e professoras do Departamento de Psicologia da FFCLRP, Marina Rezende Bazon e Ruth Estevão, aposentada, o curso vem ao encontro de uma demanda significativa em termos quantitativos e qualitativos, por aperfeiçoamento para o trabalho de intervenção de ajuda psicossocial, na área da justiça juvenil. “No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Sistema Nacional de Atendimento Sócio-Educativo (SINASE),  sublinham a importância de avaliar, de forma ampla e coerente o adolescente que comete atos infracionais. O ECA determina que no processo sejam levadas em consideração suas características de personalidade, as condições que este possui para o cumprimento de medidas socioeducativas, além das circunstâncias e da gravidade do ato infracional”.

As coordenadoras explicam que nesse sentido, a participação dos canadenses é fundamental, pois Danielle e Jean são especialistas na temática “Deliquência juvenil e problemáticas de saúde mental”. Já Marie-Marthe e Michèle são especialistas em instrumentos de avaliação no campo das intervenções sócio-jurídicas envolvendo adolescentes em conflito com a Lei e no Modelo Integrado de Intervenção Diferencial (MIID).

Grupo de Estudos

O curso é uma das atividades do Grupo de Estudos e Pesquisa em Desenvolvimento e Intervenção Psicossocial (GEPDIP), também coordenado pelas professoras Marina e Ruth. “O grupo, desde 2009, participa ativamente da elaboração e da implementação de um programa de execução de medida judicial de Liberdade Assistida aplicada a adolescentes infratores, devido à colaboração existente entre a USP e a Organização Não-Governamental Santo Antônio Maria de Claret”.

Elas explicam que por meio de estagiários e pesquisadores, tem-se experimentado e testado as proposições teóricas e metodológicas que compõem a proposta do curso agora em andamento. “O GEPDIP procurou sempre produzir conhecimento básico e aplicado e mantém, desde o início, colaboração e parcerias com profissionais e pesquisadores na área de deliquencia juvenil de outros países, especialmente, Chile, Portugal e Canadá.”

Mais informações: (16) 3602-3830. 

Scroll to top