Poli tem estande na Casa Brasil, criada em Londres para divulgar Rio 2016

Foto: Divulgação/LSI

A Casa Brasil, montada em Londres para promover a cultura, o esporte brasileiro e as oportunidades de negócio do País, abriga um estande do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Escola Politécnica  (Poli) da USP. Lá acontece a exposição do Virtual Paraglider 3D, programa que reproduz um voo virtual imersivo sobre a cidade do Rio de Janeiro.

O sistema todo ocupa um estande de 25 m², dentro do qual estão instalados um selete real (local onde o piloto se acomoda no paraglider) e telas que formam uma imagem panorâmica de 160 graus.  Os óculos anaglifos (para imagens em 3D) completam o sistema. Para fazer o vôo virtual, o sistema captura a força exercida nas cordas, possibilitando que o ‘piloto’ sobrevoe livremente o Rio de Janeiro.

“A cidade virtual é gerada por um software desenvolvido pelo LSI e mostrado em três televisores com a tecnologia 3D”, explica um dos responsáveis pelo projeto, o engenheiro Marcelo Knörich Zuffo, docente do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos,  de que pertence o LSI. “É uma tecnologia que pode ser aplicada em diversas áreas, principalmente para promover o turismo”, acrescenta. Esta não é a primeira vez que o LSI participa de um evento em parceria com a Casa Brasil. Em 2010, durante a Copa da África do Sul, outro programa, que simulava um dirigível, também foi uma das estrelas da exposição.

O desenvolvimento desta simulação contou como apoio da Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), organização criada por professores e pesquisadores do LSI voltado à inovação tecnológica. Para este projeto, além do apoio da Escola Politécnica, o projeto contou com financiamento do Ministério dos Esportes.

A Casa Brasil ficará aberta até 9 de setembro, das 11 às 19 horas (às quintas, das 11 às 21 horas), durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, no Summerset House (The Strand, Wc2R, 1LA), próximo à Ponte Waterloo, em Londres. A entrada é gratuita.

A média diária de visitantes está em 450 pessoas – o que pode chegar a quase 20 mil visitas em 50 dias de evento. Quem não está em Londres pode fazer um tour virtual pela casa, disponível no site Rio 2016.

Laboratório de Sistemas Integráveis

Pioneiro em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia no País, o Laboratório de Sistemas Integráveis da Poli (LSI) é responsável pela construção, há 12 anos, da primeira e única Caverna Digital da América Latina: uma sala de visualização composta por cinco telas que envolvem os usuários com imagens estereoscópicas, acionadas por um cluster gráfico.

Fundado pelo professor João Antônio Zuffo, em 1975,o LSI tem suas atividades de pesquisa e desenvolvimento centradas em sistemas computacionais integrados. Conquistando grande influência em muitas áreas de pesquisa, o Laboratório também tem forte parceria com a indústria e intensa cooperação com instituições estrangeiras.

O LSI começou suas atividades com um projeto apoiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agência federal brasileira de suporte à pesquisa, e faz parte da história da microcomputação e microeletrônica no Brasil.

Adaptado de  Jornalismo/Poli USP – www3.poli.usp.br/pt/comunicacao/noticias