Arte, conhecimento e cultura se misturam nos eventos da Tenda

Publicado em Artes, USP Online Destaque por em

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Cinema ao ar livre, debates culturais e música integram a programação de dezembro na Tenda Cultural Ortega y Gasset

“Não existe cultura sem liberdade, autonomia e arrojo”, defende Maria Arminda do Nascimento Arruda, pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da USP e idealizadora da Tenda Cultural Ortega y Gasset. Este pensamento está em todo o espaço desde sua formação. Inspirada na tenda da Feira Literária Internacional de Paraty (Flip), a proposta é atender aos eventos científicos e culturais organizados pela Universidade, que trazem especialistas de diversas áreas do conhecimento, além, é claro, de suprir a falta de locais para realização de atividades culturais na Cidade Universitária.

“Me dei conta de várias coisas”, revela a pró-reitora. “A primeira é de que a Universidade não tinha espaços para receber pessoas dessa ordem e debates dessa natureza”. Ela diz que os encontros de Paraty ficaram em sua cabeça ao iniciar o projeto e, para acompanhar a ideia, a sugestão de um espaço como o da Flip soou como uma solução de vanguarda.

Sem estar presa a convenções, assim como a cultura, é a forma idealizada para o espaço. Segundo a professora, a realização da Tenda foi muito difícil, já que a Universidade nunca tinha presenciado um projeto com esta ‘cara’. “Ela não é só uma tenda, é uma construção pronta para um conjunto de eventos: de debates a performances”, observa. Por fora, apesar de grandiosa, a estrutura não revela o que está por dentro. O auditório tem 565 lugares, com palco modular, e do lado de fora, um painel de LED para projeções no gramado e um café. “Além do mais, ela é arquitetonicamente muito bonita”, exalta Maria Arminda.

Mais espaços de cultura

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Durante o período de reforma do Anfiteatro Camargo Guarnieri, da USP, o campus da capital teve seus espaços culturais reduzidos. A pró-reitora afirma que a Tenda não concorre diretamente com o novo projeto do anfiteatro, afinal, seu funcionamento tem previsão de se encerrar em julho de 2014. “Não havia na Cidade Universitária um espaço para as  atividades da forma como pensamos, e todos os equipamentos de cultura estavam sucateados”, explica a professora, ao lembrar que que o Anfiteatro Camargo Guarnieri apresentava riscos de incêndio, trazendo um risco para a comunidade.

Com o novo projeto, o anfiteatro vai ser a ‘casa’ de um Núcleo de Artes Performáticas. Sua  reforma inclui a construção de espaços adequados para orquestra e coral, inclusive com laboratórios preparados para ensaios. O Tusp e o Cinusp também utilizarão o espaço. O  auditório central será aprimorado também para abrigar eventos, assim como a Tenda, diz Maria Arminda, reafirmando que, porém, “são coisas muito diferentes, um não concorre com o outro, e aumentam as possibilidades de se desenvolver atividades dentro da Cidade Universitária”.

Temporada de dezembro

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Em dezembro, a Tenda se prepara para receber os últimos eventos de 2013 com atividades bastante diversificadas. Já estão marcados seminários, exibições de filmes, peças de teatro e concertos. Eunice Nunes, coordenadora executiva da Tenda, cargo que ocupa em parceria com Abílio Tavares, reconhece que a Universidade carece de um espaço desse tipo, e incentiva que alunos, professores, funcionários e membros da comunidade se apropriem dele e colaborem com sua organização. “A Tenda á um organismo vivo, que está se construindo”, define Eunice. A atividade que acontece no dia 9 de dezembro, às 14 horas, Território de Contato, tem bem essa proposta. “É um chamado da Tenda para conversas que ditarão o que será a Tenda em 2014”, convida Eunice.

O Cinema na Tenda estreou com a exibição do documentário Outro Sertão (Brasil, 2013, 73 min.), das cineastas Soraia Vilela e Adriana Jacobsen, que conta o período em que Guimarães Rosa foi vice-cônsul na Alemanha. O trabalho durou dez anos e contou com apoio do Arquivo IEB, da USP. Entretanto, para o mês foram preparadas mais exibições no gramado da Praça do Relógio. No dia 14 de dezembro, o Cinema na Grama exibe o musical Hair (EUA, 1979, 121 min.), em uma experiência multissensorial. A “Sessão Animada” da II Mostra Cinema da Quebrada também acontece no gramado, onde filmes produzidos por moradores da periferia serão exibidos em um painel de LED voltado para o lado de fora da Tenda.

Teatro México-Brasil

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Até 9 de dezembro, a Tenda recebe também o Encontro México – Brasil, com  espetáculos teatrais realizados a partir de acordo de cooperação acadêmica entre a USP e a Universidade Nacional Autônoma do México. Os espetáculos são formados por grupos de artistas mexicanos e brasileiros, com duas peças apresentadas gratuitamente na Tenda Cultural Ortega y Gasset, e que estrearam na Cidade do México em fevereiro deste  ano.

Alberto Villareal, diretor de La Passión en la Materia, que estreia no dia 7 de dezembro, preparou o elenco brasileiro formado por alunos da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. “Esta não é uma peça no sentido tradicional”, conta o diretor. Uma experimentação  artística que não tem forma única, se destaca pelo processo. Villareal quer encontrar dentro de cada ator o que mudou em suas vidas desde a primeira  apresentação. “É o passo seguinte, um próximo momento do que é La Passión en la Matéria. E como o processo continua, nunca vai resultar na mesma coisa, nunca será uma peça fixa”. As sessões acontecem no dia 7, às 17 horas; dia 8, às 17 e às 20 horas; e dia 9, às 17h30 e 20h30.

Conversa e música na Tenda

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em dezembro acontece ainda a estreia da série Conversas na Tenda: um conjunto de conversas informais entre personalidades e professores da USP sobre algum tema específico. Dia 12, a partir das 17h30, a temática “Gêneros” é discutida com a presença de Laerte, cartunista da Folha de S. Paulo, e da professora Maria Filomena Gregori, da Unicamp, sob mediação da pró-reitora Maria Arminda do Nascimento Arruda. A entrada é gratuita.

Dia 10 de dezembro, é a vez do seminário “Diálogo das Civilizações”. A primeira parte do encontro, no dia 9, é na Biblioteca Mário de Andrade, parceira da Universidade. Serão discutidas as tradições culturais cristã, árabe e judaica da Idade Média com o mundo contemporâneo, em um evento organizado pela artista plástica Denise Milan e pela filósofa Olgária Matos.

E para encerrar, no dia 17, às 18 horas, a Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) convida Roberta Sá para um concerto de música clássica e popular. Sob a regência do maestro Ricardo Bologna, o espetáculo será dividido em duas partes, com músicas que vão de Villa-Lobos à samba.

A programação completa da Tenda Cultural no mês de dezembro pode ser acessada na página http://www.puspc.usp.br/?p=2724

.