Centro de Estudos Linguísticos da Esalq inaugura novas instalações

Publicado em Institucional por em

Raiza Tronquin / Assessoria de Comunicação da Esalq

Foi inaugurada, no dia 7 de maio, a nova instalação do Centro de Estudos Linguísticos (CEL) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP. O projeto existe há 21 anos e, vinculado ao Serviço de Atividades Internacionais (SVAInt), oferece aos alunos de graduação, docentes e servidores a oportunidade de aprender a língua inglesa.

De acordo com a idealizadora do projeto, Fernanda Bacellar, o Centro também oferece cursos de língua portuguesa para alunos estrangeiros que participam de intercâmbios na Esalq. “A inauguração dessa nova instalação possibilita colocar não somente a Esalq, mas também o Brasil, face ao mundo externo. Ou seja, por meio dessa estrutura, estamos colaborando com a internacionalização”, observa.

“Este projeto foi iniciado em 1993, sendo aprimorado a cada ano. Hoje atendemos funcionários, docentes, setores técnico-administrativos e alunos de pós-graduação, mas futuramente estenderemos os cursos para alunos de pós-graduação também”, afirma Maria Clara de Lima Costa Barretto, chefe do Serviço de Atividades Internacionais.

Outro serviço oferecido pelo CEL é a aplicação do Test of English for International Communication (TOEIC), um teste com reconhecimento e padrão internacional de qualificação. Apostilado, o TOEIC é composto por 200 questões, sendo 100 de compreensão auditiva e 100 de escrita. Sua aplicação é de duas horas e sua validade é de dois anos.

Segundo José Vicente Caixeta Filho, diretor da Esalq, a consolidação deste processo se encaixa no momento ideal em que a Universidade optou pela internacionalização. “O grande desafio desta opção diz respeito à uma via de mão dupla, uma vez que nós temos plenas condições de enviar alunos bem qualificados para o exterior, com excelente domínio da língua, inglesa em particular. Por outro lado, podemos garantir que a nossa Instituição também receberá com muito carinho e competência alunos estrangeiros. Tenho certeza que o fato de termos uma estrutura como o CEL vai facilitar ainda mais o intercâmbio de pessoas e ideias”, conclui.

.