Educação corporativa favorece competências individuais, mostra pesquisa da FEA

Publicado em Sociedade por em

Da Assessoria de Comunicação da FEA – ced@usp.br

Pesquisa da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP investigou como a educação corporativa (oferecida pela empresa aos funcionários) contribui para o desenvolvimento das competências individuais. A tese de doutorado Competências profissionais e educação corporativa em gestão de pessoas: um estudo empírico, de Antonio de Pádua Araújo, sob orientação do professor Lindolfo Galvão de Albuquerque,  analisou as políticas e práticas desenvolvidas por empresas brasileiras, com o objetivo de ampliar o conhecimento  sobre competências profissionais e educação corporativa, pela ótica da gestão estratégica de pessoas.

Por ser um fenômeno ainda pouco estudado no Brasil, foi realizada uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, que adotou a estratégia de estudo de casos múltiplos. As empresas pesquisadas foram o Banco do Brasil (BB), a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), todas integrantes da Administração Pública Federal.

Procurou-se conhecer e analisar os modelos de gestão de pessoas por competências e os sistemas de educação corporativa, bem como as formas como cada empresa faz o alinhamento dessas abordagens, entre si e com a estratégia corporativa. Isso possibilitou a construção de um quadro explicativo mais aprofundado sobre as relações dinâmicas que se estabelecem entre essas duas abordagens, ao considerá-las no contexto abrangente do processo estratégico e do sistema de gestão de pessoas.

Embora se trate de uma pesquisa exploratória, algumas constatações foram reveladas pelos resultados. A primeira é que, nas três organizações pesquisadas, competências profissionais e educação corporativa são tratadas, integradamente, como funções estratégicas de gestão de pessoas. As contribuições de uma abordagem para a outra não ocorrem numa relação unidirecional, como se imaginava ao propor a questão central e o objetivo inicial da pesquisa.

Resultados

Na prática, o relacionamento é bidirecional, na medida em que uma atua reciprocamente sobre a outra, numa relação dialética de complementaridade. De um lado, as competências profissionais constituem os insumos básicos para a idealização e implementação das ações educativas. Do outro, os produtos da educação corporativa são os contribuidores-chave para o desenvolvimento dessas competências.

Os resultados obtidos indicam que há fortes indícios de que a integração e o alinhamento entre competências profissionais e educação corporativa, entre si, com as demais funções de Recursos Humanos (RH) e com a estratégia corporativa dependem do grau de sistematização e formalização do processo estratégico da empresa e das políticas e práticas relacionadas a essas funções, confirmando a hipótese formulada para o trabalho. Há, também, indicações no sentido de que, quanto maior esse alinhamento e integração, maiores as possibilidades de contribuição entre ambas as funções. Outra constatação importante diz respeito à forma como as três empresas pesquisadas se apropriaram dessas abordagens. De modo geral, iniciaram com uma visão ideologizada do processo, incorporando os conceitos nos formatos originalmente apresentados pelos autores e pelos consultores especializados. Com o tempo, à medida que acumulavam experiência ao lidarem com suas aplicações e perceberem a complexidade do processo, evoluíram para uma visão mais pragmática, ocorrendo uma ressignificação e uma customização das noções de competências profissionais e educação corporativa às diferentes dinâmicas organizacionais.

Além das constatações mencionadas, o estudo propõe um modelo teórico desenhado com o objetivo de orientar o processo de apropriação das abordagens de competências profissionais e de educação corporativa pelas práticas empresariais. Trata-se de uma construção idealizada a partir da arquitetura teórica que fundamentou a pesquisa e incorpora, também, os resultados comuns observados na realidade empírica das diferentes organizações pesquisadas.

Mais informações: email padua@usp.br

.