ESO

Mais perto do céu: observação noturna no telescópio dá vida nova aos astros

Publicado em Ciências, USP Online Destaque por em

Lua e Júpiter foram os convidados de honra do Noite com as Estrelas do dia 27 de março. A atividade, realizada no Observatório Abrahão de Moraes, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, acontece durante um fim de semana por mês, sempre na fase quarto crescente da Lua.

Apesar de algumas nuvens encobrindo o céu na ocasião, os telescópios Prometeu e Asterix não decepcionaram quem foi até o observatório, localizado entre as cidades de Valinhos e Vinhedo, proporcionando uma visão única de astros que geralmente só vemos de longe ou nos livros de ciências.

Nesta fotorreportagem, acompanhamos a primeira observação da sexta-feira, com uma turma do sexto ano de uma escola da região. Nossas lentes, não tão potentes quanto as dos telescópios, miraram o céu, mas também a admiração provocada anos-luz de distância, aqui na Terra.

Entre São Paulo e Valinhos há uma pequena cadeia montanhosa, a Serra do Japi que, em geral, faz o tempo na cidade ser melhor que o da capital – um dos motivos para a localização do Observatório Abrahão de Moraes. O local abriga porções de mata nativa ainda preservada
Além dos telescópios usados para o Noite com as Estrelas, o Observatório tem outros telescópios, usados para monitoramento, pesquisa e atividades com escolas, além de uma estação sismográfica e esta estação meteorológica
Diferente dos telescópios comuns, o Círculo Meridiano conta com uma estrutura que o torna capaz de captar com grande precisão o momento da passagem de um astro pelo meridiano do observador, explorando apenas uma pequena faixa do céu. É o principal telescópio de pesquisa do Observatório
Alunos de graduação e pós-graduação, boa parte voluntários, passam pelo menos um final de semana por mês no Observatório para as atividades de ensino e divulgação, que conta com apoio da Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da USP. O Noite com as Estrelas recebe ainda apoio da Prefeitura de Valinhos.
No dia da visita estavam marcadas três observações: as duas primeiras fechadas para escolas e a terceira voltada para o público geral. Todas precisam ser agendadas. Além de estudantes, o local atrai famílias, astrônomos amadores e namorados buscando impressionar o parceiro
Para facilitar a observação, todas as luzes são apagadas. Pede-se aos participantes que desliguem celulares e outras fontes de luz. Assim que o olho se acostuma à escuridão, logo são formadas filas diante dos telescópios
Durante a observação, os monitores contam histórias e curiosidades sobre estrelas e constelações, e o uso de um laser potente, cuja luz verde parece tocar os astros, ajuda o grupo a localizá-los
Além da Lua, o público conseguiu ver Júpiter, que é o maior planeta do sistema solar, e três de seus mais de 60 satélites. Dependendo da visibilidade do dia, também são mostrados outros planetas e aglomerados estelares
Embora possamos ver toda sua superfície no período de lua cheia, é no quarto crescente que a observação fica mais interessante. O modo como a luz do Sol incide nesse período permite ver com nitidez as crateras do nosso único satélite natural

Mais informações sobre o Noite com as Estrelas e agendamento de visitas pelo telefone (19) 3856-5400 ou no site do Observatório.

Com agradecimentos a Rafael Miloni Santucci, Kizzy Alves Resende e toda a equipe do Observatório Abrahão de Moraes.

.