Projeto capacita catadores para reciclagem segura e rentável de computadores

Publicado em Sociedade por em

No próximo mês de julho, a cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais) vai receber instrutores do Laboratório de Sustentabilidade (LASSU) da Escola Politécnica (Poli) da USP com o objetivo de levar para a cidade e região a experiência do Projeto Eco-eletro, iniciativa que visa capacitar catadores de materiais recicláveis ligados a cooperativas para a desmontagem segura e rentável de computadores.

Nesta nova fase do projeto, o objetivo é formar multiplicadores do curso para cada região contemplada: as cidades de Recife (Pernambuco) e Joinville (Santa Catarina) já receberam o curso. Além de Belo Horizonte, também haverá treinamentos em Novo Hamburgo (Rio Grande do Sul), Brasília (Distrito Federal) e Vitória (Espírito Santo).

Pode parecer simples, mas desmontar um computador inservível a fim de separar as peças e enviá-las para empresas de reciclagem exige muitos cuidados. Isso porque esses equipamentos possuem em sua composição elementos químicos tóxicos, como mercúrio, chumbo, cromo e cádmio, que podem contaminar as pessoas e o meio ambiente. Por isso, computadores e outros equipamentos eletrônicos nunca devem ser descartados no lixo comum.

O Projeto Eco-Eletro é realizado por meio de uma parceria entre o LASSU e o Instituto GEA-Ética e Meio Ambiente com patrocínio pela Petrobras. De acordo com dados do GEA, desde seu início, em 2011, o projeto já treinou, diretamente, mais de 250 catadores, atingindo um público indireto de cerca de mais de 2 mil pessoas.

O curso realizado em julho será ministrado por instrutores do LASSU em parceria com o Instituto GEA para professores e pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membros de Organizações Não Governamentais (ONGs) que trabalham com cooperativas, com o intuito de capacitar pessoas com função de multiplicadoras.

A mesma experiência será realizada em todas as cidades contempladas pela segunda fase do projeto. Os treinados em cada curso serão, então, capacitados a ensinar os catadores de materiais recicláveis da cidade e região a desmontar computadores, separar adequadamente os seus componentes (o que aumenta o valor agregado das peças) e vendê-las para empresas de reciclagem. Os catadores, uma vez treinados, também devem replicar o conhecimento adquirido para os outros cooperados de sua cooperativa.

Treinamento

No LASSU, o projeto é coordenado pela professora Tereza Cristina Carvalho e conta ainda com a participação dos pesquisadores Vivian Fernandes Marinho Ferreira e Walter Akio Goya. Os cursos para capacitação de catadores já realizados foram ministrados por Goya e outros instrutores do LASSU e do Instituto GEA. Agora, é o próprio Goya quem vai ensinar as melhores práticas e o método de disseminar conhecimento sobre reciclagem de eletroeletrônicos para as novas turmas de treinamento que ocorrerão em mais quatro universidades e faculdades brasileiras.

Vivian explica que, como resultado do projeto, foi elaborado um manual para que esses centros de pesquisa possam aplicar o curso para os catadores. Ela conta que alguns dos cursos realizados no LASSU foram filmados para que agora os novos multiplicadores possam acompanhar o desenrolar das aulas já ministradas e ter uma visão mais ampla da dinâmica de sala de aula. “No curso, é mostrado como interagir com os alunos, qual o melhor método, a melhor forma de ensinar, e o que é mais importante abordar com os catadores durante as aulas”, informa. O curso é ministrado em dois dias com duração total de aproximadamente 16 horas.

Outras cidades

Belo Horizonte é a terceira cidade a receber o treinamento. A experiência já foi realizada no mês de maio, em Recife, e contou com a participação de pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Neste mês de junho quem está recebendo o treinamento são os pesquisadores da Universidade Univille e Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC), em Joinville. Nos dias 1° e 2 de julho, será a vez de Belo Horizonte; em agosto, Novo Hamburgo, na Universidade Feevale. Em setembro, quem receberá treinamento serão os pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB); e, em outubro, a Universidade Federal do Espirito Santo (UFES). Existe ainda a previsão de um possível treinamento na cidade do Rio de Janeiro, mas ainda sem local e data definidos.

Valéria Dias / Agência USP de Notícias

Mais informações: (11) 3091-1092, email lassu@usp.br, no LASSU, ou (11) 3058-1088,  email contato@institutogea.org.br, no Instituto GEA, site www.facebook.com/ecoeletro2

 

.