FSP forma alunos para divulgar técnicas de meditação entre servidores

Publicado em Saúde, USP Online Destaque por em

“Quando a medicina chinesa chegou ao Ocidente havia preconceito, mas hoje é reconhecida. O mesmo espero que ocorra com a meditação budista, pois sua prática resulta em muitos benefícios para o equilíbrio emocional e a saúde em geral. Além disso, é realizada com autonomia do praticante”. O relato de Rubens de Aguiar Maciel, cedido à Viviane Gomes para o Diário Oficial (12 mar. 2013), exprime uma realidade cada dia mais presente nas práticas clínicas: a imbricação entre Ocidente e Oriente na medicina.

Acupuntura, aromaterapia, reflexologia, quiropraxia, reiki, etc. Muitas são as abordagens das chamadas “medicinas alternativas” que foram paulatinamente sendo introduzidas como práticas terapêuticas ao longo das últimas décadas. Embora muitas delas ainda não possuam reconhecimento científico, dia após dia esses tipos de tratamento são buscados com maior frequência.

Foto: ASCOM FSP / USP - Adriana do Prado.
Foto: ASCOM FSP / USP – Adriana do Prado

Uma das práticas que vem ganhando mais e mais adeptos é a “meditação aplicada à saúde”. Com milhares de estudos publicados em importantes periódicos científicos de renome internacional, a meditação como forma de tratamento das patologias da mente e do corpo ganhou espaço também nos centros universitários e, desde 2011, na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.

Atualmente, está em andamento o curso de extensão do Programa de Meditação Aplicada à Saúde, promovido pela Prefeitura do Quadrilátero da Saúde/Direito da USP (PUSP-QSD), sob a gestão da professora Wanda Maria Risso Günther, e ministrado por Rubens de Aguiar Maciel. Este curso pretende formar alunos que irão participar de práticas de Meditação a serem aplicadas à servidores do Quadrilátero da Saúde/Direito USP (QSD).

Rubens de Aguiar Maciel é psicólogo, com mestrado e doutorado pela FSP. Realiza projeto de pós-doutoramento sob a supervisão do professor  Emmanuel de Almeida Burdmann, médico nefrologista e docente do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). O pós-doutorando sempre atuou como psicoterapeuta e começou a meditar por conta própria. Quando percebeu a eficácia das intervenções baseadas na meditação, decidiu pesquisar o tema e aplicar a prática na clínica.

O projeto de pós-doutorado nasceu dos esforços em reunir ciência e prática meditativa, cujo resultado imediato se consolidou no Programa de Redução do Estresse baseado na Meditação da Atenção Plena. Em 2011, esse programa foi implantado no Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza e atualmente está sendo desenvolvido com apoio da PUSP-QSD na FSP.

Foto: Marcos Santos
Foto: Marcos Santos

Ansiedade, estresse, depressão, hipertensão são algumas das doenças tratadas por meio da meditação, embora ela possa ser utilizada em vários tipos de sintomas. Destaca-se ainda que cada uma dessas patologias requer abordagem específica aliada à pratica meditativa. Nesse sentido, o curso, com duração de 72 horas, visa formar estagiários para aplicação e pesquisa da técnica e ocorre às sextas-feiras, de junho a novembro, nas dependências da FSP.

A aplicação das práticas de Meditação aos servidores do QSD ocorrerá a partir da segunda quinzena de agosto. Em breve serão anunciados os procedimentos para inscrição dos interessados.

Da Assessoria de Imprensa da Faculdade de Saúde Pública (FSP)

.