Modelo estatístico desenvolvido no ICMC faz previsões esportivas

Publicado em Esporte por em

Da Assessoria de Comunicação do ICMC

Você sabia que o Cruzeiro é o time que tem 99,54% de chance de vencer o Brasileirão 2013? E que a chance do Grêmio ser um dos classificados para a Libertadores é de 96,02%, contra os 91,79% do Atlético-PR e os 77,38% do Botafogo?

Informações como essas estão disponíveis no site Previsão Esportiva, que surgiu a partir de um sistema estatístico desenvolvido inicialmente pelos professores Francisco Louzada e Adriano Kamimura Suzuki, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

O site dá a oportunidade para a comunidade utilizar os resultados de uma metodologia científica sofisticada: previsões obtidas a partir de um modelo estatístico que leva em conta fatores como mando de campo, poder de ataque e poder de defesa de cada equipe do campeonato. No momento, o internauta/torcedor pode conferir as previsões dos jogos do Campeonato Brasileiro 2013 semanalmente, com probabilidade de vitória, derrota, rebaixamento e empate, em casa e fora de casa, e a estrutura de classificação de cada um dos times.

O Previsão Esportiva é, hoje, gerenciado pelo Grupo de Modelagem Estatística no Esporte (GMEE), que é ligado ao Centro de Matemática e Estatística Aplicadas à Indústria (CeMEAI) do ICMC e ao Centro de Estudos do Risco (CER) do Departamento de Estatística da UFSCar. Alunos de graduação e pós-graduação da USP e UFSCar fazem parte do grupo, além dos professores José Galvão Leite e Luís Ernesto Bueno Salasar, da UFSCar, e do professor do SENAI de São Paulo, Anderson Ara.

O grupo já atuou com previsões esportivas na Copa do Mundo de 2006 e 2010, quando acertou a ordem dos campeões. Atualmente, quase 17 mil pessoas acompanham o site Previsão Esportiva e mais de 1,3 mil curtem a página do grupo no Facebook. “No momento, o nosso sistema está restrito ao futebol devido às limitações de investimento, mas o modelo pode abranger qualquer outro esporte”, explicou Suzuki.

Gol de placa estatístico

Atualmente, é possível empregar diferentes modelos para fazer previsão esportiva: considerando apenas o que já aconteceu ou incluindo informações subjetivas, obtidas por meio de especialistas, construindo uma estrutura de modelagem dinâmica, atualizável durante os campeonatos. Esse é o modelo utilizado pelo GMEE.

“Nossa metodologia leva em consideração informação objetiva somada à informação subjetiva dos especialistas, o ‘feeling’. Com essa combinação, conseguimos traçar um valor final”, destacou Louzada. Segundo ele, a metodologia estatística aqui utilizada é o diferencial. Ele explica que, antes, as previsões eram feitas exclusivamente com base nas informações objetivas que se tinha em mãos, como ranking da FIFA e comportamento dos times antes da copa, por exemplo.

O GMEE foi criado em 2004 quando ainda não havia um grupo que trabalhasse com estatística voltada para o esporte, embora existissem grupos em outras áreas, como medicina, indústrias e mercados financeiros. Em competição organizada pela Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional (SOBRAPO), em 2010, o modelo conquistou o 1º lugar na categoria B.

Já em 2012, por meio do trabalho de conclusão de curso intitulado Modelagem Estatística Aplicada em Determinação de Resultados de Partidas de Futebol, de autoria de José Fernando Francini Junior e co-orientação de Louzada e Suzuki, o modelo participou do 20º Simpósio Nacional de Probabilidade e Estatística (SINAPE) e recebeu menção honrosa ao ficar entre os cinco finalistas na modalidade estatística no esporte.

Perspectivas

É de interesse do grupo expandir o projeto para que se tenha uma abrangência maior em campeonatos e atualizações constantes nas previsões. “A ideia é montar um grupo para investir em outros campeonatos estaduais, não apenas o Brasileirão”, declarou Louzada.

Para isso, o GMEE pretende captar maiores investimentos para trabalhar com outros tipos de previsão, inclusive, é possível adaptar as metodologias utilizadas para outras áreas, como medicina e indústria. Louzada conta que o grupo já estuda novas perspectivas: “Temos como projeto futuro o desenvolvimento do sistema I-Esporte, no qual será possível detectar talentos esportivos. Para isso, o nosso grupo precisa de mais financiamentos, que podem surgir do setor privado, inclusive”.

Louzada também explicou que trabalhar com copas do mundo é mais difícil por causa da quantidade reduzida de jogos. Mas, ainda assim, o GMEE pretende realizar previsões para a Copa do Mundo de 2014.

Mais informações: (16) 3373.9666, email comunica@icmc.usp.br

.